Topo

Dilma critica falta de metrô e diz que dará R$ 50 bi para mobilidade urbana

Dilma Rousseff comanda reunião com prefeitos e governadores das 27 unidades federativas em Brasília - Pedro Ladeira/Folhapress
Dilma Rousseff comanda reunião com prefeitos e governadores das 27 unidades federativas em Brasília Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Do UOL, em Brasília

24/06/2013 18h26Atualizada em 25/06/2013 08h36

Durante reunião com prefeitos e governadores de todo o país nesta segunda-feira (24), a presidente Dilma Rousseff prometeu mais R$ 50 bilhões em investimentos para obras de mobilidade urbana e criticou as políticas federais para o setor de transporte nas últimas décadas.

Mapa dos protestos

  • Clique no mapa e veja onde aconteceram os principais protestos no Brasi até agora

"Essa decisão é reflexo do pleito por melhoria do transporte coletivo no nosso país, onde as grandes cidades crescem e onde, no passado, houve a incorreta opção por não investir em metrôs. Só muito recentemente, nas últimas décadas, é que o metrô passou a ser um dos meios de transporte reconhecidos como sendo objeto da necessidade de investimento", disse a presidente. 

Além dos R$ 50 bi, a presidente falou sobre a desoneração de impostos e pediu mais metrôs, VLTs (veículos leves sobre trilhos) e corredores de ônibus. "Avançar mais rápido em direção ao transporte público de qualidade e acessível. O governo federal já desonerou impostos, o que permitiu a redução das tarifas de ônibus em 7,23%, e 13,75% na tarifa do metrô e dos trens. Além disso, mantivemos congeladas as tarifas de metrô e trens operados pelo governo federal desde 2003. Desoneramos também o IPI para a compra de ônibus. Estamos dispostos, agora, a ampliar a desoneração do PIS/Cofins sobre o óleo diesel dos ônibus e a energia elétrica consumida por metrôs e trens."

Qual deve ser o principal tema dos próximos protestos no Brasil?

O anúncio do pacto sobre mobilidade foi um dos cinco itens de um novo pacto que a presidente propôs aos governantes de Estados e prefeituras. Os outros pactos se referem à responsabilidade fiscal, reforma política, educação e saúde.

Manifestantes saem às ruas em protestos pelo Brasil
Manifestantes saem às ruas em protestos pelo Brasil
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','29229+AND+52727+AND+72337', '')

O anúncio de Dilma vem após duas semanas de protestos em todo o país -- as manifestações começaram em São Paulo pedindo a redução da tarifa de ônibus. "É preciso saber escutar as vozes das ruas. É preciso que todos, sem exceção, entendam esse sinais com humildade", falou aos governadores e prefeitos (clique aqui para ler a íntegra do discurso).

Hoje, a presidente recebeu também os integrantes do MPL (Movimento Passe Livre) no Palácio do Planaltoque lideraram o início dos protestos pelo país. 

"Foi importante para iniciar um diálogo, mas a luta pela tarifa zero continua até haver medidas concretas neste sentido", afirmou Mayara Vivian, uma das integrantes do MPL. "A presidente reconheceu o transporte como direito social e a gente vai cobrar isso".

A ativista Leila Saraiva acrescentou que o movimento considera que a redução da tarifa depende apenas de vontade política. "Acreditamos que é uma decisão política e não técnica."

Mais Cotidiano