PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Papa para papamóvel e toma gole de mate de peregrino em Copacabana

Do UOL, no Rio de Janeiro

25/07/2013 17h18Atualizada em 25/07/2013 18h10

O papa Francisco pediu para que o papamóvel parasse e tomou um gole de mate oferecido por um peregrino na praia de Copacabana, na zona sul do Rio, nesta quinta-feira (23). Ele chegou à região às 17h15 para participar de uma festa de acolhida aos jovens que participam da 28ª Jornada Mundial da Juventude, que é realizada desde a última terça-feira (23).

Os discursos do papa na Jornada

  • Papa Francisco critica discussão sobre liberação das drogas

  • Papa chama dinheiro, poder, sucesso e prazer de ídolos passageiros

  • Francisco apela a jovens para que lutem contra injustiça e 'nunca desanimem' diante da corrupção

O pontífice seguiu de helicóperto da Residência Assunção, no Sumaré, zona norte do Rio, até o Forte de Copacabana. De lá, percorreu de papamóvel a avenida Atlântica até o Leme.

No trajeto, ele acenou para os fiéis que reagiram com histeria diante do pontífice. O papamóvel parou diversas vezes durante o percurso para que o papa beijasse crianças. Ao menos 40 receberam o carinho do papa. Em um determinado momento, ele substituiu o solidéu, uma espécie de chapéu, que estava usando por outro que ganhou de um fiel anônimo. 

Francisco seguiu a bordo do papamóvel até o palco montado na praia de Copacabana, onde foi recebido por uma multidão e pelo arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, que deu as boas-vindas ao papa.

O pontífice assistiu à apresentação do padre e cantor Fábio de Melo e logo em seguida de um grupo de 200 jovens que dançaram ao som de músicas sobre o Rio de Janeiro.

Jovens subiram no palco carregando bandeiras dos diversos países de origem dos peregrinos que participam da Jornada. 

Programação intensa

Logo cedo, o papa Francisco celebrou uma missa na Residência Assunção, na zona norte, casa de repouso onde o pontífice está hospedando desde a última segunda-feira (22).

Mais tarde, no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura do Rio de Janeiro, recebeu do prefeito Eduardo Paes as chaves da cidade. Em um breve discurso, abençoou os presentes e pediu para que rezassem por ele.

Depois, ele seguiu para a favela de Varginha, no complexo de Manguinhos, na zona norte, onde fez uma breve oração em uma pequena capela, chamada São Jerônimo Emiliani, e, sob garoa, caminhou entre fiéis. Francisco visitou a casa de uma família da comunidade.

Está na JMJ? Mande sua foto

Você vai participar da Jornada Mundial da Juventude? Registrou cenas curiosas de peregrinos? Fez imagens dos eventos e do papa Francisco? Envie para o UOL. Mande seu material, com uma breve descrição da imagem, por e-mail para vocemanda@uol.com.br. Pelo Twitter, envie fotos ou relatos citando o perfil de @UOLNoticias e utilizando a hashtag #vocemanda

Em discurso na favela de Varginha, o papa apelou para que as pessoas se esforcem para que o mundo seja mais justo e solidário. "Sei bem que quando alguém precisa comer e bate em suas portas, vocês sempre dão um jeito de compartilhar comida. Como diz o ditado, sempre se pode colocar mais água no feijão", afirmou.

Após visita à favela, o papa Francisco foi até a Catedral Metropolitana do Rio, na região central, onde encontrou fiéis argentinos que foram ao Rio para participar da Jornada Mundial da Juventude.

Em discurso, ele afirmou que a Igreja Católica precisa sair às ruas para que não se torne uma ONG (Organização Não Governamental).

Cotidiano