Após morte de outro jovem, manifestantes e PM voltam a se enfrentar na zona norte de SP

Gil Alessi

Do UOL, em São Paulo

Protestos em São Paulo
Protestos em São Paulo

As ruas da zona norte de São Paulo voltaram a ser palco de confronto entre manifestantes e policiais militares no início da tarde desta terça-feira (29). Desta vez, o protesto ocorreu no Parque Novo Mundo, que fica a poucos quilômetros da Vila Medeiros, cenário das manifestações realizadas na segunda-feira (28) por conta da morte do adolescente Douglas Rodrigues, 17, baleado por um policial militar no domingo (27). O motivo do protesto de hoje foi a morte de outro jovem, Jean Silva, também de 17 anos.

Leia mais

  • Adolescente é morto por PM durante abordagem

  • Morte gera protestos com ônibus queimados e ruas bloqueadas

  • Quase 100 são detidos e um homem é baleado em novo protesto

Os manifestantes colocaram fogo em lixo e montaram barricadas. O Batalhão de Choque usou bombas de efeito moral contra o grupo, que atirou pedras contra os policiais. Alguns focos de incêndio se formaram nas ruas do bairro.

A reportagem do UOL presenciou ao menos quatro carros da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) circulando na região. Policiais militares chegaram a entrar em um conjunto residencial Cingapura. Por volta de 15h15, os policiais militares já haviam deixado a região.

De acordo com relatos de moradores que não quiseram se identificar, o protesto foi realizado por conta da morte de Jean, que teria sido morto por um policial militar na manhã de hoje. Um morador afirmou que ele foi baleado por um homem que estava em um carro preto.

Já a PM informa que o jovem foi morto em uma troca de tiros com o soldado Pedro Henrique Santos da Silva. Segundo o Boletim de Ocorrência registrado no 90º DP (Parque Novo Mundo) pelo próprio soldado, Jean o abordou enquanto ia ao trabalho de carro. O policial relatou que seu GPS indicou um caminho errado e ele foi parar na avenida Tenente Amaro Felicíssimo da Silveira, no Parque Novo Mundo.

Na avenida, o jovem de 17 anos teria anunciado o assalto. O soldado relatou que o adolescente teria apontado a arma e pedido para ele descer do carro. Logo após deixar o veículo, o policial sacou a pistola .40 e deu voz de prisão ao jovem, que atirou e fugiu. Pedro revidou e baleou o suspeito. 

Segundo a versão do soldado registrada no B.O., após a troca de tiros outro homem apareceu e fez disparos contra ele. O PM diz que atirou contra o homem, mas não soube informar se os tiros o acertaram. Ainda de acordo com informações do B.O., o carro do PM foi atingido por dois tiros.

Com Jean foi encontrada uma arma calibre 32 com o número de série raspado. Segundo a Polícia Civil, ele tinha passagem por ato infracional.

Governo federal e de SP se unem

Após conversar com o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que irá se reunir na próxima quinta, em Brasília, com os secretários de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, e do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, para "discutir medidas de segurança pública para evitar atos de vandalismo".

Protestos em São Paulo
Protestos em São Paulo