Topo

Rompimento de barragem com lama mata pelo menos um em MG

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

2015-11-05T18:49:32

2015-11-06T20:39:47

05/11/2015 18h49Atualizada em 06/11/2015 20h39

O rompimento das barragens da mineradora Samarco Fundão, no subdistrito de Bento Rodrigues, em Mariana (a 115 km de Belo Horizonte, em Minas Gerais), matou pelo menos uma pessoa e deixou quatro feridas. O acidente aconteceu entre 15h30 e 16h desta quinta-feira (5).

O hospital Monsenhor Horta, em Mariana, confirma ter recebido cinco vítimas do rompimento. Uma delas já chegou morta, segundo a assessoria de imprensa do hospital. Segundo o vice-presidente do Sindicato Metabase Mariana, Angelo Eleutério, que está na portaria da mineradora, a vítima, um fiscal, teria sofrido uma parada cardíaca ao ver o desabamento. As outras quatro pessoas passam bem. 

Até as 19h, eram procuradas pelo menos dez pessoas na barragem. O resgate está sendo feito por helicópteros - as ambulâncias não conseguem chegar até o local. Segundo informações de pessoas no local, só é possível ver a torre da igreja matriz do subdistrito. 

Por volta das 22h, a Defesa Civil de Mariana informou que a lama chegou na região de Paracatu de Baixo. De acordo com o órgão, o subdistrito foi evacuado. 

Lama invadiu casas

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Extração de Ferro e Metais Básicos de Mariana, Ronaldo Bento, a área da barragem é equivalente a dez campos de futebol.

"A Fundão recebe rejeitos de minério, que viram uma lama. Existe um acordo com o Ministério Público para que ela fique estocada. Temos informações de que essa lama invadiu casas no povoado", disse Bento. A população estimada da região é de 620 pessoas, a maior parte delas empregada na mineradora. 

A prefeitura afirma que, por questões de segurança, equipes do município e da Samarco estão pedindo aos moradores que deixem suas casas em Bento Rodrigues e sigam imediatamente para o distrito de Camargos, mais alto.

A Promotoria do Meio Ambiente do Ministério Público de Minas Gerais afirmou que o acidente é “uma catástrofe” e enviou para o local membros do Núcleo de Combate aos Crimes Ambientais para acompanhar o caso.

Em nota divulgada no fim da tarde, a Samarco disse que prioriza o atendimento das vítimas e o controle de danos ao meio ambiente. "Não é possível confirmar causas e extensão do ocorrido, bem como a existência de vítimas”, afirma o comunicado.

Minério de ferro

A Samarco produz principalmente pelotas de minério de ferro, a partir da transformação de minerais de baixo teor em um produto nobre, de alto valor agregado, e comercializado para a indústria siderúrgica mundial. A capacidade produtiva da Samarco é de aproximadamente 30 milhões de toneladas anuais, segundo informação do site da companhia.

(Com informações da Reuters e do Estadão Conteúdo)

Mais Cotidiano