Serial killer de Goiás é condenado a 20 anos de prisão

Lourdes Souza

Colaboração para o UOL, em Goiânia

  • Reprodução/YouTube/Tribunal de Justiça de Goiás

    O serial killer de Goiás é acusado de ser o autor de 30 homicídios

    O serial killer de Goiás é acusado de ser o autor de 30 homicídios

O vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, 28, conhecido como o serial killer de Goiás, foi condenado nesta terça-feira (16) a 20 de prisão pelo assassinato da estudante Ana Karla Lemes da Silva, 15, ocorrido em dezembro de 2013.

A sentença foi lida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, após decisão do júri popular, no 1º Tribunal do Júri de Goiânia.

Preso em outubro de 2014, Tiago chegou a confessar 39 assassinatos em Goiânia e região metropolitana, mas somente 30 casos foram confirmados e viraram processos na Justiça. Entre as vítimas está Ana Karla, que foi morta com um tiro no peito quando voltava para casa.

O julgamento, que começou às 8h50, foi transmitido ao vivo na internet pelo Tribunal de Justiça de Goiás. Esta foi a primeira condenação de Rocha. O segundo julgamento deve ocorrer em março.

Nesta terça, durante depoimento, Rocha pediu perdão à mãe de Ana Karla, Ironildes Lemes, e voltou a afirmar que não havia motivos para os crimes. Ele disse que era forçado a cometer os crimes por uma força do mal.

A mãe da vítima, em depoimento, disse que passou mal após saber da morte da filha. O promotor Cyro Terra, responsável pela acusação, disse que o laudo psiquiátrico aponta que Rocha é psicopata, mas que é inteiramente capaz e responsável pelos crimes.

Segundo o promotor, a pena foi merecida e necessária porque se ele sair da cadeia irá matar outras pessoas.

O juiz Jesseir Coelho de Alcântara disse que o crime foi classificado como homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e utilização de recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

A defesa de Rocha, ao destacar que as provas indicam a condenação do réu, bem como a confissão do mesmo, também pediu a condenação.

O advogado de defesa, Michel Pinheiro Ximango, apenas pediu a redução da pena aos sete jurados. Ele disse que Rocha foi diagnosticado com transtorno de personalidade, por isso teve condutas não aceitas.

"O laudo diz que ele era capaz de entender, mas será que é assim? O sujeito é diagnosticado com um transtorno, mais conhecido como psicopata, será que ele tem autodeterminação, será que entende o que está fazendo? Eu acho que não? Pode até entender que o ato é errado, mas não tem o autocontrole", alegou a defensor.

A tese da defesa não foi aceita pelos jurados, que avaliaram que o crime foi cometido por motivo torpe.

Desde outubro de 2014, Rocha está detido no Núcleo de Custódia do Complexo Prisional, em Aparecida de Goiânia.

Laudos feitos pela Polícia Técnico-Científica comprovaram que as vítimas foram mortas com projéteis disparados pela arma encontrada com o vigilante.

A pena será cumprida na Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia.

'Serial killer´ de Goiânia catalogava suas vítimas

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos