Policial amamenta recém-nascido que chorava enquanto o pai era interrogado

Eduardo Carneiro

Colaboração para o UOL

  • Reprodução/Facebook PMPA

    Caso aconteceu em Belém. Pai da criança foi liberado e todos ficaram bem

    Caso aconteceu em Belém. Pai da criança foi liberado e todos ficaram bem

Um gesto da soldado Anamaria Figueiredo, da Diretoria de Pessoal do Comando Geral da Polícia Militar do Pará, ganhou muita repercussão nas redes sociais: ela amamentou um bebê recém-nascido que não era dela durante uma abordagem realizada na avenida Presidente Vargas, centro de Belém, na noite do último sábado.

A guarnição da qual Anamaria fazia parte estava de serviço no local quando suspeitou de um homem que estava sozinho, aparentando nervosismo, com apenas uma menina de um mês no colo. "Ele não tinha bolsa, nem a documentação, nada com ele. Disse apenas que estava esperando a esposa", relata a soldado ao UOL.

Anamaria observou de longe esta primeira abordagem, realizada pelos sargentos Luis Carlos e L. Silva. Só que enquanto o homem era interrogado, a bebê não parava de chorar. A soldado conversou com a colega Elenise, e ambas concluíram que a razão mais provável era fome - já se passava das 20h.

Reprodução/Facebook PMPA

"A soldado que estava comigo disse inclusive que se tivesse leite, teria dado. Mas eu ainda tenho leite. Então me ofereci a amamentar a criança até a mãe chegar. Pedi autorização aos sargentos e ao pai da bebê, e ela ficou mamando por uns 20 minutos", relembra Anamaria, que no dia a dia amamenta um filho de dois anos e, eventualmente, o filho recém-nascido de uma prima.

O instinto materno da policial se mostrou de fato aguçado, e a criança se acalmou. "Tanto que quando fui entregá-la para a mãe, ela chorou. Não queria sair do meu peito", ri Anamaria - a mãe agradeceu o gesto da soldado e imediatamente seguiu amamentando o bebê.

Os pais, que não tiveram os nomes divulgados, foram liberados pela PM depois de apresentarem os próprios documentos e o registro da criança. Ambos atuam como lavadores e guardadores de carros e moram em Ananindeua, região metropolitana de Belém.

A mãe, ainda de resguardo, alegou que já havia voltado a trabalhar e só se ausentou temporariamente por ter ido buscar uma quantia de dinheiro na casa de um patrão. Já o pai disse ter ficado nervoso com a abordagem da polícia por anteriormente ter tido a guarda de um filho de seis anos retirada pelo Conselho Tutelar.

Anamaria, por sua vez, agora vive uma fama repentina. A equipe da PM registrou seu gesto e publicou nas redes sociais, gerando uma onda de compartilhamentos e elogios. "Não esperava que iria repercutir tanto, se espalhar. Tanto que depois de amamentar a criança continuei com meu policiamento normal, e depois fui pra casa. Aí desde domingo não param de me ligar", ri novamente a soldado.

"Quando decidi amamentar a criança, fiz de coração. Ajudar a população é meu trabalho como policial", conclui.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos