Violência no Rio

Bombeiro é preso por ter gravado vídeo durante tiroteio em escola na Maré

Carolina Farias

Colaboração para o UOL, no Rio

Um bombeiro que gravou um vídeo em uma escola do Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro, durante intenso tiroteio foi preso pelo Corpo de Bombeiros. O subtenente do Corpo de Bombeiros Silvio Rodrigues de Oliveira foi detido por ter divulgado o registro, feito enquanto combatia um incêndio na escola.

No vídeo, que tem quase sete minutos, Oliveira aparece atrás de uma pilastra do Ciep (Centro Integrado de Educação Pública) Samora Machel, atingido por um incêndio no dia 19 de junho. Na gravação, ele relata a situação do grupo de bombeiros.

"É tiro de um lado, tiro do outro, a guarnição aqui dentro do Ciep. O tiro comendo, meu irmão. Vai sair como? Vai fazer socorro como? Estou aqui atrás de uma pilastra. Não sei como vou sair daqui, dentro da favela da Maré. (....) Se passar dessa pilastra, estou morto", diz o bombeiro no vídeo, que, até esta segunda-feira (10), tinha 120 mil visualizações.

Na gravação, feita pelo bombeiro por celular, é possível ouvir o barulho dos disparos. "É desse jeito que o bombeiro vive. Se eu sair dessa, como vou [voltar a] entrar em comunidade assim?", afirma o subtenente.

De acordo com o boletim da prisão do bombeiro, que trabalha no 2º Grupamento de Bombeiro Militar do Méier (zona norte), Oliveira está detido desta segunda até a próxima terça-feira (18), por ter desobedecido a determinação do comando do Corpo de Bombeiros, publicada em março deste ano, que proíbe a gravação de vídeos em local de socorro.

Oliveira também recebeu mais um dia de punição por uso inadequado do fardamento: ele estava sem o capacete e com outro uniforme. Por isso, ele sairá da detenção, que ocorre no próprio 2º GBM do Méier, no dia 19.

Familiares do subtenente disseram que ele optou por mudar o uniforme na ocasião do salvamento para poder se locomover melhor.

O bombeiro postou o vídeo em um canal que tem no YouTube que usa para postar observações sobre a cidade e seu trabalho. Os parentes disseram que Oliveira não tinha ideia de que o vídeo do salvamento na Maré teria grande repercussão.

A mulher de Oliveira dará à luz um menino, e o parto está previsto para os próximos dias. Os familiares afirmaram que o bombeiro está inconformado de não acompanhar o parto do filho por conta da detenção.

Procurado pelo UOL, o Corpo de Bombeiros informou, por meio de nota, que a prisão do subtenente foi determinada pelo descumprimento de norma interna, no que diz respeito à produção e à divulgação de imagens de ocorrências.

"O vídeo produzido não configura material oficial da instituição", diz a nota do comando, que afirmou que foi concedido ao bombeiro o amplo direito de defesa, conforme preveem as normas que regem a corporação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos