RJ: Um dia após megaoperação contra roubo de carga, motorista de caminhão é feito refém por 3h

Do UOL, em São Paulo

  • Domingos Peixoto/Agência o Globo

    Polícia acessa caminhão, na avenida Brasil, após libertar motorista que foi feito refém

    Polícia acessa caminhão, na avenida Brasil, após libertar motorista que foi feito refém

Um dia depois de uma megaoperação da polícia do Rio de Janeiro contra o roubo de cargas, o motorista de um caminhão carregado com alimentos congelados foi mantido refém por um ladrão durante três horas na noite deste domingo (6). Ele foi libertado por volta da meia-noite e saiu ileso, após negociação dos homens do Bope com o bandido, que, segundo a PM, estava ferido e foi levado para o Hospital Albert Schweitzer.

O motorista teria sido rendido por assaltantes por volta das 21 horas no bairro da Penha, zona norte da cidade. Informada por populares, a polícia iniciou perseguição, até que, na avenida Brasil, altura do bairro Deodoro, conseguiu parar o veículo ao atingir com um tiro um dos pneus. Alguns assaltantes teriam conseguido fugir, mas um permaneceu e fez o motorista refém. Segundo a PM, uma pistola .40 foi apreendida com o bandido.

Por questões de segurança, a avenida Brasil, uma das principais vias da cidade do Rio, ficou interditada durante todo o período de sequestro. À 1h da madrugada, o Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que o sentido Centro da avenida já estava totalmente liberado, mas a pista sentido Zona Oeste tinha apenas uma faixa liberada no trecho, com agentes da CET-Rio orientando o tráfego. 

A operação realizada no sábado (5), batizada de Onerat, foi motivada pelo aumento em 25% do roubo de carga somente no primeiro semestre de 2017 na comparação com o mesmo período do ano passado. No total, foram 5.179 ocorrências neste ano, segundo dados do Instituto de Segurança Pública do Rio. A operação é uma das ações que integram um plano específico de combate ao roubo de cargas firmado em 28 de julho entre o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e os ministros da Defesa, Raul Jungmann, e da Justiça, Torquato Jardim.

Três pessoas morreram e ao menos nove suspeitos foram presos na manhã do sábado durante a operação Onerat, que mobilizou quase 5 mil agentes, 79 veículos blindados e oito helicópteros. Entre os mortos, está um policial militar, que não resistiu aos ferimentos causados em um acidente de trânsito envolvendo o veículo que transportava dois presos na operação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos