PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Doria propõe que Bilhete Único seja substituído por aplicativo de celular

VINICIUS PEREIRA/Folhapress
Imagem: VINICIUS PEREIRA/Folhapress

Venceslau Borlina Filho

Do UOL, em São Paulo

28/08/2017 17h55

Em clima de cordialidade, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o prefeito da capital, João Doria (PSDB), lançaram nesta segunda (28) o chamamento público para estudos de viabilidade da concessão do Bilhete Único à iniciativa privada.

Em 40 dias, as empresas interessadas poderão apresentar suas ideias, que serão absorvidas para a licitação, prevista para o final deste ano ou início de 2018. O objetivo é identificar novas possibilidades de cobrança e de arrecadação de receita com o sistema.

Doria afirmou que uma das opções será a implantação de um aplicativo de celular, que poderá substituir o bilhete no formato de cartão de plástico. Pelo aplicativo, o concessionário poderá agregar serviços, podendo o usuário decidir se aceita ou não.

A ideia, segundo o tucano, surgiu em recente viagem à Coreia do Sul. "Não há mais dinheiro, cartão de plástico. É só celular. A ideia é essa, sair do cartão para a moderna tecnologia do celular", disse o prefeito apontando para o seu smartphone.

A SPTrans, empresa da Prefeitura de São Paulo que gerencia o sistema de bilhetagem, tem 14,4 milhões de cartões ativos. É um negócio que movimenta R$ 7,3 bilhões por ano, incluindo os repasses às empresas de ônibus, trem e metrô.

Prefeitura e o governo do Estado participam juntos porque dividem a operação dos modais de transporte (ônibus, trem e metrô) na capital paulista.

A prefeitura e o Estado argumentam que farão a concessão do sistema para economizar dinheiro público. Por ano, de acordo com os órgãos, o custo total do Bilhete Único é de R$ 159,8 milhões, sendo que parte desse valor, de R$ 53,1 milhões, é do governo do Estado.

Pelo projeto, o recurso economizado seria investido em áreas prioritárias do governo, como saúde, educação, mobilidade e social.

O prefeito João Doria reafirmou que os dados dos usuários serão mantidos em sigilo. Uma das preocupações é de que os passageiros tenham as informações pessoais violadas e negociadas com outras empresas. "O sigilo dos usuários está absolutamente garantido", afirmou o tucano.

PMI

O chamamento público é o nome popular do PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse)

 

Cotidiano