PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Caixas de supermercado são presos acusados de desviar mais de R$ 300 mil no ES

Cancelamento das notas era o método usado para desviar dinheiro do supermercado - Reprodução/Google Street View
Cancelamento das notas era o método usado para desviar dinheiro do supermercado Imagem: Reprodução/Google Street View

Fernando Molina

Colaboração para o UOL

30/08/2018 17h41

Dois operadores de caixa de um supermercado em Cariacica, Espírito Santo, foram presos em flagrante pela Polícia Civil na última quarta-feira (29), suspeitos de desviar mais de R$ 300 mil referentes a compras feitas por clientes no local.

Segundo a delegada Arlinda Rodrigues, da 4ª Delegacia Regional de Cariacica, o gerente do estabelecimento já vinha desconfiando dos funcionários há alguns meses. "Começaram a verificar muitas faltas [de valores], por isso decidiram instalar câmeras nos caixas, especialmente nos postos de trabalho dos dois rapazes, onde sempre tinha quantias faltando e muitas notas [de compras] canceladas", explicou Arlinda.

O cancelamento das notas era o método que os operadores, identificados como Lucas da Silva Pires e Arthur Bertolini Nascimento, utilizavam para cometer as fraudes. Em várias ocasiões, após registrarem os produtos comprados pelos clientes, os suspeitos estornavam o procedimento sem a devida autorização do gerente, liberavam os produtos e embolsavam os valores.

Leia mais:

A delegada ainda informou que ambos confessaram os crimes após a detenção, mas depois de orientados pela defesa, passaram a alegar que só vão depor em juízo. Em audiência de custódia, ficou determinado o valor de R$ 50 mil de fiança para cada um, mas nenhum apresentou intenção de efetuar o pagamento. Desta forma, os dois continuam detidos na cidade de Viana, também no Espírito Santo, aguardando julgamento.

UOL apurou que os dois homens alegaram que tinham intenção de usar o dinheiro das fraudes para a compra de um imóvel, no entanto, eles já tinham feito outras compras, como a de uma moto e de celulares. Nas casas dos suspeitos, foram apreendidos cerca de R$ 84 mil, que serão devolvidos ao supermercado.

Outros funcionários serão ouvidos pela Polícia Civil após a instauração do inquérito para apurar os fatos. Procurado, o gerente do local preferiu não fazer declarações sobre o caso.

Cotidiano