Topo

Barragem de Brumadinho: Bolsonaro visitará região e cria gabinete de crise

Gustavo Maia e Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

2019-01-25T16:10:19

2019-01-26T07:06:24

25/01/2019 16h10Atualizada em 26/01/2019 07h06

O porta-voz da Presidência da República, general Otávio Santana Rêgo Barros, informou na tarde desta sexta-feira (25), em breve pronunciamento no Palácio do Planalto, que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) deverá, no sábado (26), sobrevoar a região de Brumadinho (MG), na região metropolitana, a cerca de 60 km de Belo Horizonte, onde hoje se rompeu uma barragem da mineradora Vale. Outras duas barragens também foram atingidas.

Rêgo Barros afirmou que o presidente "lamenta eventuais perdas de vida ocasionadas pelo rompimento da barragem. Antes de iniciar a leitura de uma nota, ele se referiu ao ocorrido como um "lastimável acidente". Não há informações oficiais sobre vítimas.

Bolsonaro deve deixar Brasília rumo à região afetada em um avião às 8h. Em Brumadinho, o sobrevoo vai ocorrer de helicóptero.

O general afirmou ao UOL que, "em princípio", a ida de Bolsonaro a Minas Gerais não vai alterar a programação prevista para a cirurgia a que ele será submetido na segunda-feira (28), em São Paulo, para a retirada da bolsa de colostomia que ele usa desde que foi esfaqueado em um ato de campanha, em setembro do ano passado. A previsão é que Bolsonaro viaje à capital paulista no domingo (27), quando vai realizar exames pré-operatórios.

Arcanjo Major Carla/Divulgação
Parte do local afetado pela lama que se espalhou pela região de Brumadinho após rompimento de uma barragem Imagem: Arcanjo Major Carla/Divulgação

Gabinete de crise e viagem de ministros

O porta-voz declarou ainda que o presidente "determinou imediato estabelecimento de gabinetes de crise" para acompanhar os desdobramentos do rompimento da barragem, tanto no Palácio do Planalto quanto no Ministério do Meio Ambiente.

Pouco antes das 15h30, Bolsonaro disse lamentar o ocorrido, em uma série de mensagens no Twitter.

"Nossa maior preocupação neste momento é atender eventuais vítimas desta grave tragédia", declarou. "Todas as providências cabíveis estão sendo tomadas", completou o presidente.

Ele informou ter determinado que os ministros do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, e o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Alves, se deslocassem para a região.

Ainda segundo o presidente, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, também está a caminho de Minas Gerais.

No início da noite, o presidente voltou a se manifestar, desta vez em pronunciamento oficial no Planalto, e voltou a se solidarizar com as eventuais vítimas do rompimento da barragem. "Amanhã pela manhã, juntamente com o ministro da Defesa, partiremos para Belo Horizonte. De lá, eu e o governador de Minas sobrevoaremos a região, para que possamos então, mais uma vez reavaliando os danos, tomarmos todas as medidas cabíveis, para minorar os danos", declarou.

Confira a nota completa lida pelo porta-voz:

"O presidente da República lamenta eventuais perdas de vidas ocasionadas pelo rompimento da barragem na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais. Determinou imediato estabelecimento de gabinetes de crise para acompanhar a evolução da situação tanto no Palácio do Planalto quanto no Ministério do Meio Ambiente. Os ministérios das Minas e Energia, Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional e Defesa foram acionados para integrar esforços federais e estaduais. O governo federal acompanha de perto a evolução da situação em condições de colaborar com o estado de Minas Gerais. O presidente da República tem intenção de deslocar-se para a região amanhã às 8h. As assessorias de imprensa deverão procurar os diversos ministérios no intuito de aclarar dúvidas relacionadas dentro de cada uma das especificidades"

Mais Cotidiano