PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

"Busco justiça em nome das mulheres", diz espancada ao chegar para depor

25.fev.2019 - A paisagista Elaine Caparroz chega para prestar depoimento no 16º DP - José Lucena/Futura Press/Folhapress
25.fev.2019 - A paisagista Elaine Caparroz chega para prestar depoimento no 16º DP Imagem: José Lucena/Futura Press/Folhapress

Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio

25/02/2019 13h21

A paisagista Elaine Caparroz, 55, chegou à 16ª DP (Barra da Tijuca) para prestar depoimento no começo da tarde desta segunda-feira (25). "Está sendo difícil, mas é minha busca de justiça em nome de todas as mulheres que passaram por isso", afirmou ela, em breve declaração à imprensa.

Elaine, que teve alta médica na última sexta-feira (22), foi espancada durante quatro horas, na madrugada do dia 16, pelo estudante de direito Vinícius Serra, 27. Os dois se conheciam havia oito meses e trocavam mensagens por uma rede social. Ele foi preso em flagrante.

Mais cedo, Adriana Belém, delegada que chefia o inquérito, informou dez pessoas já foram ouvidas. Em entrevista ao programa "Fantástico" da "TV Globo" exibida ontem, a empresária disse desconfiar que teria sido dopada por Serra e que ele tinha intenção de matá-la.

"Soube isso através da imprensa. Hoje, oficialmente, eu vou buscar todos os dados. Todas essas perguntas serão feitas, [como] a possibilidade de que ele teria falado para ela que ele queria sentir a sensação de matar alguém. Eu preciso que ela me esclareça muitos pontos", disse Adriana.

"Isso [a possibilidade de ter sido dopada] realmente é uma possibilidade, sim. Ela já tinha me falado isso. Existem lapsos de memória. Ela lembra de determinados momentos, mas ela chega a me dizer que, quando ela voltava a si, ele fazia com que ela voltasse para sentir a agressão. Parece que é uma pessoa que se sentia satisfeita em ver o outro sofrendo", acrescentou a delegada.

Empresária relata como foi agredida em seu apartamento na Barra da Tijuca

UOL Notícias

Cotidiano