Topo

Polícia divulga atiradores de massacre de Suzano: um de 17, um de 25 anos

Do UOL, em São Paulo

2019-03-13T13:39:49

2019-03-13T19:29:23

13/03/2019 13h39Atualizada em 13/03/2019 19h29

Os dois atiradores que abriram fogo dentro de uma escola em Suzano (Grande São Paulo) na manhã de hoje foram identificados pela polícia. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, eles eram Guilherme Taucci Monteiro, 17, e Luiz Henrique de Castro, 25. Ao menos 10 pessoas morreram no ataque, entre elas os dois atiradores, e 11 ficaram feridas.

Segundo a polícia, os atiradores invadiram a Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, armados e encapuzados, e efetuaram disparos contra alunos e funcionários. Cinco adolescentes e duas funcionárias morreram. O dono de uma loja de carros do bairro, onde os atiradores passaram antes de seguirem para a escola, também morreu após ser socorrido ao hospital. Outras nove pessoas estão internadas.

A SSP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) informou que os atiradores eram ex-alunos do colégio.

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Ainda não se sabe o que motivou o crime.

O governo do estado informou que outras nove pessoas ficaram feridas. Pelo menos um estava em estado grave. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dos demais.

A Escola Estadual Raul Brasil fica na rua Otavio Miguel da Silva, no bairro Parque Suzano. Segundo o Censo Escolar 2017, a unidade de ensino tem 105 funcionários e 1.067 alunos. Os estudantes são do 5º ano ao ensino médio, sendo a maioria alunos de ensino médio.

Como foi a ação

Segundo o comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, coronel Marcelo Salles, antes de chegar à escola, os dois atiradores dispararam contra o dono de uma loja de veículos próximo à unidade de ensino. Ele foi socorrido para a Santa Casa de Misericórdia em Suzano, mas não resistiu.

Da loja, eles se dirigiram à escola. Um vídeo de uma câmera de segurança mostra os dois atiradores chegando na escola em um carro branco.

Eles entraram pela porta da frente, atiraram contra a coordenadora pedagógica e contra outra funcionária da escola. "Estava na hora do lanche. Eles se dirigiram ao pátio, atiraram em mais quatro alunos do ensino médio. Nesse horário, só tínhamos alunos do ensino médio", disse Salles.

Do pátio, os atiradores seguiram em direção ao centro de línguas. "Os alunos do centro de língua se fecharam na sala junto com a professora e eles [os atiradores] se suicidaram no corredor", concluiu.