Topo

Quem são os mortos no massacre em escola de Suzano

Ana Carla Bermúdez e Eduardo Lucizano

Do UOL, em São Paulo

13/03/2019 15h27Atualizada em 14/03/2019 11h34

A polícia divulgou os nomes dos dez mortos no massacre que aconteceu na manhã de hoje em Suzano, na Grande São Paulo. As vítimas são cinco alunos, dois funcionários e um comerciante, dono de uma locadora que fica próxima à escola, além dos dois atiradores, que teriam cometido suicídio.

Segundo o secretário de segurança pública, João Camilo Pires de Campos, dois ex-alunos da Escola Estadual Professor Raul Brasil entraram no local e atiraram em duas funcionárias e cinco estudantes.

Antes, eles haviam atirado contra o dono de uma locadora de veículos, que seria tio de um dos atiradores. Lá, eles pegaram um carro e dirigiram até a porta da escola.

Veja os nomes dos mortos em Suzano

Atiradores

  • Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos
  • Luiz Henrique de Castro, 25 anos

Estudantes

  • Caio Oliveira, 15 anos
  • Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos
  • Douglas Murilo Celestino, 16 anos (socorrido ao hospital, foi a óbito)
  • Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos
  • Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos

Funcionárias da escola

  • Marilena Ferreira Vieira Umezo, coordenadora pedagógica, 59 anos
  • Eliana Regina de Oliveira Xavier, agente de organização escolar, 38 anos

Comerciante

  • Jorge Antonio de Moraes, dono de uma loja de carros e que foi morto antes do massacre na escola, 51 anos

O caminho dos atiradores

O secretário de segurança pública relatou que os dois foram de carro para a escola e entraram pela porta da frente. Inicialmente, eles atiraram nas duas funcionárias que estavam na entrada. Em seguida, deram sequência aos tiros.

Luiz Henrique de Castro, um dos autores do massacre em Suzano - Reprodução/Governo do Estado de São Paulo
Luiz Henrique de Castro, um dos autores do massacre em Suzano
Imagem: Reprodução/Governo do Estado de São Paulo
Acionada após o assalto na loja de veículos, uma equipe de policiais perseguiu o carro branco roubado e também chegou à escola.

Segundo o secretário, quando os atiradores chegaram ao fundo da escola, depararam-se com uma equipe do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais). Neste momento, foram ouvidos dois disparos. O secretário diz que a polícia não descarta a hipótese de que um dos atiradores tenha disparado contra o outro antes de se suicidar.

Dúvidas sobre motivação

Pires de Campos disse ainda que a polícia não sabe o que motivou o crime. "É essa a grande busca: qual foi a motivação desses antigos alunos", afirmou.

Segundo ele, Guilherme, o ex-aluno mais novo, tinha um histórico de ter saído da escola "antes da hora". O secretário não soube dizer se o ex-aluno havia sido expulso e afirmou apenas que a saída aconteceu por "problemas".

Errata: o texto foi atualizado
A primeira lista divulgada pela polícia trazia o nome de Pablo Henrique Rodrigues como vítima do massacre. Em nova lista, a corporação substituiu o nome pelo de Kaio Lucas da Costa Limeira.

Mais Cotidiano