Topo

Homens são resgatados 13h após barco rumo a Fernando de Noronha naufragar

14.jun.2019 - Navio da Marinha resgata homens que ficaram naufragados por 13h - Marinha do Brasil
14.jun.2019 - Navio da Marinha resgata homens que ficaram naufragados por 13h Imagem: Marinha do Brasil

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

14/06/2019 19h27

Nove homens que viajavam em um barco de Recife para o arquipélago de Fernando de Noronha (PE) foram resgatados pela Marinha do Brasil na noite de ontem, depois de ficarem por 13 horas naufragados no mar. Uma pessoa está desaparecida.

A embarcação Navegantes, em que eles estavam, naufragou após enfrentar uma tempestade, a uma distância de 80 milhas náuticas (aproximadamente 148 km) de João Pessoa.

Os náufragos chegaram a Natal na manhã de hoje, no navio-patrulha Guaíba. Eles passam bem e foram levados para o Hospital da Marinha, na capital potiguar, para passar por exames médicos.

O Navio-Patrulha Macau realiza buscas pela região na tentativa de encontrar o tripulante desaparecido. A Marinha emitiu avisos de alerta para outras embarcações próximas à área do naufrágio sobre o desaparecimento do homem.

"Nascer de novo"

A embarcação Navegantes saiu de Recife na noite de quarta-feira (12), com seis tripulantes e quatro passageiros a bordo. O destino final da viagem era Fernando de Noronha. O barco transportava material de construção para a reforma da BR-363, no arquipélago.

Na manhã de ontem, segundo os tripulantes, o barco enfrentou uma tempestade, não aguentou os fortes ventos e as altas ondas, e acabou virando.

O comandante da embarcação, Paulo Penha de Moura, contou que "nasceu de novo" após ser resgatado. Ele disse que a tripulação acionou a balsa de emergência quando viu que o barco ia afundar.

"A tempestade balançou o barco e as ondas entraram. Ele virou de banda (de lado). Enfrentamos muita chuva na balsa, esperando o resgate. Foi muita aflição. Agradeço a Deus pela oportunidade de estar vivo, por nascer de novo. Agora é uma nova vida para a gente", disse Moura.

Todos os tripulantes saltaram do barco. Nove deles conseguiram se proteger em uma espécie de jangada, onde ficaram aguardando o socorro da Marinha. Eles contaram que o colega que está desaparecido pulou para o outro lado. Desde então, não o viram mais.

O Comando do 3º Distrito Naval (Com3ºDN) foi avisado sobre o naufrágio por meio do acionamento do sinal de emergência da embarcação. O equipamento aciona socorro após afundar.

A Marinha do Brasil informou que assim que recebeu o alerta sobre o naufrágio, iniciou a operação de busca e salvamento, coordenada pelo Salvamar Nordeste. O navio-patrulha Guaíba se dirigiu para a última posição conhecida da embarcação naufragada e encontrou os nove homens. Um médico da Marinha prestou os primeiros socorros ao grupo.

A Marinha abriu inquérito para apurar as causas do acidente e tem o prazo de 90 dias para concluir o trabalho.

Mais Cotidiano