Topo

Suspeita de cortar pênis de marido diz que crime foi em legítima defesa

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió (AL)

19/08/2019 16h51

Suspeita de matar a facadas, cortar o pênis do companheiro e levar para a amante do marido, a dona de casa Marivânia Gabriel dos Santos, 42, disse em entrevista a uma TV local ter agido em legítima defesa. Ela contou em entrevista à TV Borborema, afiliada do SBT em Campina Grande (PB), que foi agredida durante discussão com o marido Luiz de Almeida, 31, e teve a mão esquerda e os braços direito e esquerdo atingidos por facadas desferidas pelo companheiro.

Marivânia é apontada pela polícia como autora do assassinato de Luiz de Almeida, 31, ocorrido na noite da última quinta-feira (15), no município de Areial (PB), localizado na região agreste da Paraíba, a 166 km de João Pessoa.

Ela recebeu alta na manhã de hoje do Hospital Trauma de Campina Grande e foi conduzida por policiais civis para o município de Esperança para audiência de custódia. A mulher está presa em flagrante e foi indiciada pelo crime de homicídio qualificado. Após a audiência, a suspeita deverá ser transferida para o presídio feminino de Campina Grande.

Segundo a polícia, a suspeita teria colocado o pênis do marido em um copo e levado para uma suposta amante do homem, vizinha do casal. Em seguida, a mulher tentou se matar, ingerindo ácido muriático. O crime foi praticado na frente de dois filhos de Marivânia --uma bebê de 11 meses e um menino de 13 anos. O UOL tentou contato com a defesa da acusada na tarde de hoje, mas não obteve resposta.

Em entrevista à TV Borborema, ela afirmou que foi agredida pelo marido antes de desferir as facadas nele e que agiu em legítima defesa. Durante a discussão, segundo a mulher, ela conseguiu jogar ácido muriático em Almeida, tomou a faca e o esfaqueou.

"Meu intuito era ele deixar ela [a amante], mas ela me infernizou tanto que cheguei a esse ponto. Eu ia pegar ela [a amante], ia dar um cacete nela. Ele bateu no meu filho no domingo passado [dia 11] e isso ficou me matutando. Eu vi os dois na noite anterior juntos, ele dormiu com ela e não aguentei", contou a mulher à TV Borborema, em entrevista exibida no programa Patrulha da Cidade.

Ela relatou que era vítima de violência doméstica, que o marido batia nela e nos filhos, principalmente quando chegava bêbado em casa. A mulher disse que durante a discussão, na noite da última quinta-feira, apanhou do marido. Ela está com ferimentos na mão esquerda e no braço direito, que teria sido atingida com a mesma faca que supostamente matou o marido.

"Ele me deu um chute e me derrubou. Corri peguei o ácido e joguei nele. Peguei a faca e ele ainda tomou e me esfaqueou nas mãos. Foi quando eu consegui pegar a faca e tome, tome e tome", relatou na entrevista. "Ele vivia me batendo. Quando dei a facada, cortei os ovos dele e levei para ela [a amante]. Eu me arrependo, pois só queria bater nela, mas fugiu do meu controle. Ou era eu ou ele", disse.

Segundo a polícia, Luiz de Almeida mantinha quatro relacionamentos com quatro mulheres em Areial, e Marivânia teve uma crise de ciúmes ao descobrir que uma das amantes era vizinha do casal. Os filhos de Marivânia estão sob os cuidados da bisavó.

"Ela está presa autuada em flagrante e a prisão foi convertida em preventiva. Diante do clamor social do crime, ela vai ficar presa aguardando julgamento. O filho da suspeita relatou de forma minuciosa o crime e vizinhos também já foram ouvidos. Ela aparenta lesões de defesa e subtende-se que pode ser levantada a legitima defesa pela defesa, mas isso deverá ser no julgamento", disse o delegado Danillo Orengo, titular da delegacia seccional de Esperança, que abrange o município de Areial.

A Polícia Civil informou que a suspeita ainda não prestou depoimento e deverá ser ouvida pelo delegado Danillo Orengo após a audiência de custódia. Em seguida, ela deverá ser encaminhada para o presídio feminino de Campina Grande, onde ficará à disposição da Justiça.

Mais Cotidiano