Topo

"Vocês lembram do filme 174?", perguntou sequestrador aos reféns

Lola Ferreira

Colaboração para o UOL, no Rio

20/08/2019 14h56

A recepcionista Rafaela Gama, 20, afirmou que o sequestrador Willian Augusto da Silva perguntou se as vítimas "lembravam do filme 174". Rafaela foi uma das reféns do sequestro do ônibus na Ponte Rio-Niterói na manhã de hoje e contou que essa foi uma das primeiras falas do sequestrador ao entrar no ônibus. O sequestro acabou após quase quatro horas, quando Willian foi baleado por um atirador de elite.

"Ele perguntou se a gente lembrava do filme 174, e falou que seria algo parecido. Ele dizia que queria parar o estado", disse a vítima após prestar depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói.

Em junho de 2000, Sandro Barbosa do Nascimento fez reféns durante quase cinco horas dentro de um ônibus da linha 174, no Rio. Ele também foi assassinado. O caso rendeu um documentário - Ônibus 174, de 2002 - e um filme ficcional - Última Parada 174, de 2008.

Rafaela confirmou que o sequestrador, com a ajuda de uma refém ainda não identificada, prendeu os passageiros com braçadeiras de plástico. Com marcas nos pulsos, Rafaela disse que em nenhum momento Willian foi agressivo.

Ela contou que manteve contato com um policial durante o sequestro, e conseguiu manter a calma até ver a gasolina. "Ele falava que não queria machucar ninguém, mas mesmo assim fiquei nervosa."

O uso da suposta gasolina citada por Rafaela foi confirmado por outra vítima, Hans Miller. Ele afirmou que o líquido foi colocado por Willian, com a ajuda de uma outra passageira, em potes de garrafa pet presos por um fio de barbante.

A polícia ainda não confirmou se o líquido era, de fato, inflamável. Por volta das 14h20, a perícia chegou à Delegacia de Homicídios de Niterói com o líquido e também com o energético que Willian bebia durante o sequestro.

Mais Cotidiano