PUBLICIDADE
Topo

Polícia aciona Interpol por dados de arma do caso Flordelis, diz jornal

Anderson do Carmo de Souza, pastor assassinado no Rio de Janeiro, e a mulher Flordelis - Reprodução/Facebook
Anderson do Carmo de Souza, pastor assassinado no Rio de Janeiro, e a mulher Flordelis Imagem: Reprodução/Facebook

DO UOL, em São Paulo

26/08/2019 08h58

A Polícia Civil do Rio de Janeiro pediu ajuda da Interpol no busca por dados sobre a pistola usada para matar o pastor Anderson do Carmo, marido da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD-RJ), em Niterói, no dia 16 de junho. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo em sua edição de hoje.

De acordo com a publicação, a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo enviou um ofício ao órgão de cooperação entre polícias de diferentes países pedindo dados sobre o rastreamento da pistola de calibre 9 milímetros fabricada pela empresa argentina Bersa.

O ofício foi enviado no dia 31 de julho e a polícia ainda espera por uma resposta.

A pistola foi encontrada em cima de um armário na casa da deputada federal Flordelis (PSD-RJ). Uma perícia realizada pelo Instituto Carlos Éboli, da Polícia Civil do Rio confirmou que a arma calibre 9mm foi a mesma usada no assassinato de Anderson do Carmo.

No dia 18 de agosto, o Ministério Público do Rio denunciou os dois filhos da deputada pelo assassinato: Flávio dos Santos Rodrigues, 38, e Lucas Cezar dos Santos de Souza, 18.

De acordo com a denúncia, por volta das 03h30 do dia 16, na residência do casal, em Niterói, Flávio desferiu diversos disparos de arma de fogo contra Anderson, causando a sua morte.

Ainda segundo o documento, "Lucas atuou como cúmplice do irmão pois, sabedor da intenção de Flávio, bem como dos motivos e do plano de execução, a tudo aderiu e o ajudou a adquirir a arma utilizada no crime".

Cotidiano