Topo

Pai começa a vender drogas para livrar o filho de traficante em Manaus

Edvaldo Valente Peres explicou à polícia que vendia drogas por causa do filho - Divulgação/Polícia Civil do Amazonas
Edvaldo Valente Peres explicou à polícia que vendia drogas por causa do filho Imagem: Divulgação/Polícia Civil do Amazonas

Bruna Chagas

Colaboração para o UOL, de Manaus (AM)

10/09/2019 17h57

Edvaldo Valente Peres, de 40 anos, foi preso hoje (10), ao ser flagrado comercializando drogas no bairro Jorge Texeira, na Zona Leste de Manaus. Segundo a polícia, o pai começou a vender drogas para livrar o filho das mãos de um traficante que não teve o nome divulgado.

Conforme o delegado Torquato Mozer, responsável pelo caso, o crime foi descoberto depois que moradores da área denunciaram a venda de entorpecentes no local. Durante as investigações para apurar a denúncia, os policiais da 30ª Cicom (Companhia Interativa Comunitária) encontraram Edvaldo em uma casa com vários trouxinhas de drogas e uma quantia em espécie. Ele confessou o crime e explicou que fazia isso pelo filho.

O homem contou para a polícia que estava traficando porque o filho Handrey Wilker dos Santos, de 18 anos, havia perdido um material de um líder do tráfico daquela área. Ele contou a polícia que ficou desesperado porque o rapaz estava sofrendo ameaças de morte, então decidiu trabalhar para o traficante para quitar a dívida. "Quando foi preso, Edvaldo falou que a venda era realizada para salvaguardar o filho, já que o filho estava devendo para um traficante, pois perdeu uma encomenda", disse o delegado.

Na casa de Edvaldo, no quarto do filho também foram encontradas várias porções de drogas. O rapaz não foi achado no local e continua sendo procurado pela polícia. De acordo com Torquato, Edvaldo não tinha passagem pela polícia, já Handrey tem registro de abordagens por viaturas enquanto ainda era menor.

O valor da dívida em aberto de Handrey com o traficante ainda está sendo apurado pela Polícia Civil. Após os procedimentos cabíveis na delegacia, Edvaldo estará à disposição da Justiça. Ele não quis falar com a imprensa.

Mais Cotidiano