PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Condenado por estupro, coronel reformado da PM é réu por abuso de irmãos

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

30/09/2019 14h38

Condenado a uma pena de 11 anos de prisão por abuso sexual envolvendo uma criança de 2 anos, em 2016, o coronel reformado da PM Pedro Chavarry Duarte, de 65 anos, passou a ser réu em um novo processo de estupro envolvendo uma criança e um adolescente que são irmãos.

Ele e outras dez pessoas, acusadas de formar uma rede de pedofilia, foram denunciadas pela 2ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos. O caso foi aceito pela Justiça e corre em sigilo devido ao envolvimento de menores de idade.

A primeira audiência do caso está marcada para o dia 7 de outubro. Dos 11 réus, nove estão presos e dois, foragidos. O coronel da PM é um dos presos. Ele está no Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar, em Niterói, na região metropolitana do Rio.

Prisão ocorreu em 2016

O coronel reformado da PM foi preso em flagrante em setembro de 2016 e condenado por estupro de vulnerável e corrupção. O policial foi flagrado em um carro com uma menina de dois anos, nua, na zona norte do Rio. Para não ser preso, o coronel ofereceu suborno aos policiais militares que o encontraram.

Três anos após o oficial ter sido preso, a PM decidiu pela incapacidade de Chavarry de permanecer nos quadros da corporação e pediu a exclusão do militar.

Formado em Direito e com 42 anos de PM, Chavarry também integrava o comando da Caixa Beneficente da Polícia Militar - órgão que assegura benefícios aos policiais da corporação e familiares. Chavarry também foi candidato a deputado federal pelo Rio de Janeiro, em 2014, pelo Partido Social Liberal (PSL). Ele teve 1.948 votos e não foi eleito.

Ele cumpre pena atualmente no Batalhão Especial da PM em Niterói. A reportagem do UOL tentou contato com a defesa de Chavarry no início da tarde, por telefone, mas ninguém atendeu as ligações.

Cotidiano