Topo

Bombeiros anunciam terceira morte após desabamento em Fortaleza

Prédio residencial desaba em Fortaleza - Daniel Herculano/UOL
Prédio residencial desaba em Fortaleza Imagem: Daniel Herculano/UOL

Daniel Herculano e Cristiane Bonfim

Colaboração para o UOL, em Fortaleza

16/10/2019 17h49

Chegou a três o número de vítimas do desabamento de um edifício residencial ontem em Fortaleza, informou o Corpo de Bombeiros nesta tarde.

Segundo o general Eduardo Holanda, dois corpos estão no Instituto Médico Legal (IML) para identificação. O primeiro corpo retirado dos escombros, o do entregador de água que trabalhava nos arredores quando o prédio ruiu, foi enterrado nesta tarde na Grande Fortaleza.

De acordo com os cálculos atualizados dos bombeiros, que seguem nos trabalhos de resgate, a situação é esta:

  • 7 resgatados com vida
  • 3 mortes confirmadas
  • 7 "reclamados" -- pessoas possivelmente sob os escombros

"Localizamos cinco pontos de calor com grande possibilidade de ter sobreviventes. Utilizamos drones que identificam calor, além dos três cães farejadores envolvidos na operação", disse Holanda.

Enterro

O primeiro enterro de vítima do edifício Andrea ocorreu no Cemitério Parque da Saudade, em Caucaia, na região metropolitana. A família pediu privacidade e não quis a presença de jornalistas.

Ele era casado e pai de três filhos. Trabalhava como entregador de água.

O corpo de Frederick Santana dos Santos, 30, foi liberado pela manhã pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). Ele não era morador do prédio. Estava trabalhando na rua lateral ao edifício quando a estrutura ruiu.

O outro corpo já resgatado é de uma mulher que ainda não teve a identidade revelada. Ainda não há informações sobre enterro e velório.

Sete pessoas já foram resgatadas com vida.

Polícia inicia investigação

O inquérito para apurar o desabamento do edifício residencial de sete andares localizado no bairro Dionísio Torres foi aberto pelo 4° Distrito Policial, segundo a Polícia Civil do Estado do Ceará. Testemunhas do caso começaram a ser ouvidas ontem.

Já as buscas contam com a participação de 215 bombeiros militares e não foram interrompidas. Uma chuva fina caiu sobre Fortaleza na manhã de hoje, mas segundo o comandante geral do Corpo de Bombeiros, Eduardo Holanda, não atrapalhou o trabalho.

"As nossas equipes permanecem nos locais que nossos cães alarmaram como sendo de possíveis vítimas", declarou Holanda. Os bombeiros estão fazendo uso de ferramentas de baixo impacto e evitando o uso de máquinas mais pesadas, como retroescavadeiras, que possam trazer instabilidade ao terreno. A medida, segundo o coronel do Corpo de Bombeiros, poderia diminuir a possibilidade de resgatar as vítimas com vida.

Veja como foi o desabamento

UOL Notícias

Cotidiano