Topo

Homem espera notícia de irmão que trabalhava em prédio: "sei que está vivo"

16.out.2019 - Roberto dos Santos aguarda informações sobre o irmão, que trabalhava no prédio que desabou em Fortaleza - Daniel Herculano/Colaboração para o UOL
16.out.2019 - Roberto dos Santos aguarda informações sobre o irmão, que trabalhava no prédio que desabou em Fortaleza Imagem: Daniel Herculano/Colaboração para o UOL

Daniel Herculano

Colaboração para o UOL, em Fortaleza

16/10/2019 10h55

Resumo da notícia

  • Família não tem notícias de Elivelton dos Santos desde o desabamento
  • Técnico de ar-condicionado trabalhava no prédio que caiu em Fortaleza
  • Elivelton é uma das nove pessoas tidas como desaparecidas pelos bombeiros

O técnico de ar-condicionado Elivelton dos Santos é uma das pessoas consideradas desaparecidas após o desabamento de um prédio em Fortaleza. Ele fazia manutenção no apartamento 501 do edifício quando seu irmão, Roberto dos Santos, deixou de receber notícias dele. Além dele, outras três pessoas estavam na unidade na hora da tragédia, segundo um parente.

Os irmãos atuam juntos com manutenção de ar-condicionado há 18 anos. Roberto marca as visitas e anota dados dos clientes enquanto Elivelton executa o serviço. É por esse motivo que ele acredita que seu irmão estava dentro do prédio quando o edifício desabou.

"Falei com ele pouco depois das 10h [de ontem], e ele já havia chegado ao local para o serviço. Quinze minutos depois, não consegui mais falar com ele", comentou Roberto ao UOL.

Ele relatou que, quando soube do desabamento, viu o endereço do edifício e percebeu que era o mesmo que havia anotado na agenda para o serviço.

"Me faltou chão e ar. Vim correndo para cá e passei a noite aqui porque eu sei que ele está vivo", desabafou.

Veja como foi o desabamento do prédio em Fortaleza

UOL Notícias

Desde o meio-dia de ontem, Roberto está no local a espera de notícias do irmão.

Os irmãos moram Itaitinga, na região metropolitana de Fortaleza. Ontem, foi a primeira vez que a empresa de Roberto e Elivelton prestava serviço no edifício que desabou.

Homem busca tios e prima

Além de Elivelton, os bombeiros trabalham com a possibilidade de que três moradores estivessem no apartamento 501 na hora do desabamento.

Segundo o empresário Rômulo Brás Thiers, sua tia Isaura, 83, seu tio Vicente, 86, e sua prima Rosana, 56, moram na unidade há mais de 10 anos.

"Quando a gente vê um desastre desse, nunca quer acreditar que seja com algum familiar nosso, mas, infelizmente, não foi isso que ocorreu. Desde ontem estamos aqui em vigília, aguardando e acreditando que sairão vivos do prédio", disse.

O empresário disse que os bombeiros repassaram a informação aos familiares que as buscas já chegaram ao local onde seria o quinto pavimento.

"A gente acredita que eles estão vivos. O trabalho incansável dos bombeiros e todo o clima de solidariedade dos fortalezenses nos deixa mais esperançosos", disse.

Até o momento, o Corpo de Bombeiros confirmou duas mortes em razão da queda do prédio. Nove pessoas foram resgatadas com vida e outras nove são tidas como desaparecidas. Elivelton, Isaua, Vicente e Rosana estão entre elas.

Cotidiano