PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
8 meses
Litoral de SP tem alagamentos e resgates por barcos após fortes chuvas

Rua do centro de São Vicente fica intransitável após chover mais do que o esperado para todo o mês  - Rafaella Martinez
Rua do centro de São Vicente fica intransitável após chover mais do que o esperado para todo o mês
Imagem: Rafaella Martinez

Rafaella Martinez

Colaboração para o UOL, em Santos

10/02/2020 11h29Atualizada em 10/02/2020 14h14

As fortes chuvas que atingiram a capital e a região metropolitana de São Paulo na madrugada de hoje também causaram estragos no litoral do Estado. Dezenas de moradores do bairro Pilões, em Cubatão, no litoral de São Paulo, precisaram ser resgatados de barco de suas residências após uma das maiores cheias do rio que leva o mesmo nome.

Por volta das 7h30 a sirene que avisa sobre a necessidade de evacuação das casas soou pela primeira vez. Moradora do Pilões há sete anos, Edisonia Reis conta que acordou com o barulho da chuva e com a água já invadindo a parte térrea da casa. "Eram 6h e meu marido já estava tirando os eletrodomésticos e as roupas do andar de baixo do sobrado. Fui para janela e vi que a situação já era caótica. A pior cheia que presenciamos aqui foi a de 2013 e essa foi muito semelhante", conta.

Cubatão - Edsonia Reis/Arquivo Pessoal - Edsonia Reis/Arquivo Pessoal
Moradores de Cubatão são resgatados de barco
Imagem: Edsonia Reis/Arquivo Pessoal

Responsável pelas sirenes do bairro, Manoel Clóvis de Oliveira, morador de Pilões há 28 anos, conta que o resgate por barco teve início imediatamente após o alerta. "Ajudamos as pessoas que vivem nas áreas mais baixas e perto do rio. Ainda estamos aguardando o nível da água baixar para calcular o tamanho do problema", conta.

Em nota, a Prefeitura de Cubatão informou que uma equipe da Comissão Municipal de Defesa Civil (Comdec) está em Pilões com a liderança do bairro e moradores para verificar as ocorrências no local. A Secretaria Municipal de Assistência Social não recebeu nenhum pedido formal de atendimento a pessoas desabrigadas e a Comdec não registrou nenhum caso de desmoronamento de encostas.

Na cidade, a chuva provocou também infiltrações em parte da cobertura do Paço Municipal, atingindo a rede elétrica. Por isso, alguns setores tiveram suas atividades suspensas - medida preventiva devido à possibilidade de ocorrerem danos aos equipamentos (principalmente computadores) se ligados em tais circunstâncias. Por medidas preventivas, o atendimento ao público foi suspenso hoje.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que o atendimento à população nas Unidades de Saúde está prejudicado devido às chuvas. Há unidades alagadas ou sem acesso e outras com equipes incompletas, porque muitos profissionais não conseguiram chegar a seus locais de trabalho devido aos alagamentos que dificultam a locomoção.

A secretaria informou ainda que as consultas e demais procedimentos serão remarcados.

Santos

Em Santos, os morros estão em estado de atenção. Desde ontem, nove árvores caíram nos bairros Encruzilhada, Estuário, Embaré, Morro da Nova Cintra, Marapé e Morro São Bento. Uma moradia irregular também desabou no Morro Boa Vista na manhã de hoje.

A prefeitura também registrou dois deslizamentos de terra no Morro da Penha e na Avenida Martins Fontes, no Centro. No momento, a Avenida Nossa Senhora de Fátima, sentido São Vicente/Santos, permanece bloqueada para veículos de passeio. No sentido oposto (Santos/SV) houve necessidade de bloqueio - as três faixas estão alagadas. A Avenida Martins Fontes - pista 1 - está intransitável.

Os bloqueios devido às chuvas também ocorrem na Praça Washington e Avenida da praia, sentido Ponta da Praia/José Menino, entre Canal 1 e Rua Cyra, ocasionando trânsito lento no trecho.

No Canal 3, sentido praia/centro, há bloqueio entre a Rua Almeida de Moraes e Brás Cubas. O mesmo acontece na Rua Francisco Ferreira Canto (descida da Caneleira). Interdição também acontece na Rua São Roque (morro São Bento) devido à queda de árvore.

Chuva em SP: carros boiando, deslizamento, resgate com helicóptero e mais

Do UOL, em São Paulo

São Vicente

Em São Vicente, o total de chuvas do início de fevereiro até o momento é de 533,2 mm, superando o índice de 400 mm esperado para todo o mês, o que coloca a cidade em nível de atenção. Foram registrados diversos pontos de alagamento no Centro e nos bairros. No trajeto do Veículo Leve sobre Trilhos, a água alcançou as rodas dos caros estacionados na Linha Amarela.

A Secretaria de Trânsito e Transportes (Setrans) realizou o bloqueio para o tráfego de veículos nas vias: Avenida Mascarenhas de Morais (Vila Margarida) próximo à Linha Amarela no acesso à Rodovia dos Imigrantes; Avenida Augusto Severo (Jóquei Clube) e Avenida Capitão Luiz Pimenta (Vila Margarida), no trecho do viaduto Mário Covas.

Mongaguá

Há pontos de alagamentos em vias próximas ao Riacho Barranco Alto, Itaóca e Vila Atlântica e a cidade permanece em Estado de Atenção. Houve uma queda de árvore (médio porte), na esquina da Avenida Nossa Senhora de Fátima com a Rua Bertioga.

Cotidiano