PUBLICIDADE
Topo

Morre garoto de 7 anos que ficou soterrado após deslizamento em Osasco

Detalhe do desmoronamento no Morro do Socó, na cidade de Osasco (SP) - Jenifer Alves
Detalhe do desmoronamento no Morro do Socó, na cidade de Osasco (SP) Imagem: Jenifer Alves

Do UOL, em São Paulo

17/02/2020 16h52

O garoto Kauê, de sete anos, que ficou soterrado após deslizamento de terra na semana passada no Morro do Socó, na cidade de Osasco (SP), morreu na noite de ontem, informou o Corpo de Bombeiros. O menino permaneceu internado por sete dias no Hospital Municipal de Barueri, mas não resistiu aos ferimentos.

"Esse dia foi muito difícil para a região metropolitana e para os órgãos de emergência. Foram mais de 10 mil ligações para o telefone 193, quando temos em média 5 mil. A mais grave foi essa, no Morro de Socó", informou o Capitão Palumbo, do Corpo de Bombeiros.

Na última segunda-feira (10), a Grande São Paulo ficou paralisada pela forte chuva, que causou deslizamentos, enchentes e muita dor de cabeça para os motoristas. O prefeito de Osasco, Rogério Lins, chegou a decretar estado de calamidade na cidade por causa das fortes e constantes chuvas que atingiram a cidade.

As famílias que moravam no Morro do Socó foram abrigadas no CEU das Artes do Bonança, no Centro de Acolhimento do Rochdale e no Abrigo do Jardim das Flores, disse a prefeitura na ocasião. A prefeitura não soube informar quantas pessoas viviam no Morro do Socó, mas disse que 81 famílias foram removidas do local após o desmoronamento.

A maior parte delas, disse a administração municipal, optou por ficar na casa de parentes, enquanto outras foram para os equipamentos disponibilizados pela prefeitura. Há também aqueles que retornaram para suas casas, mesmo com a interdição do local.

A prefeitura informou ainda que o Morro do Socó é uma área de ocupação e que está fazendo o cadastramento das famílias no programa Bolsa Aluguel. "Após dar assistência às famílias, porque essa é a prioridade, o Gabinete de Crise irá discutir obras emergenciais e demais ações", informou a administração à reportagem da Agência Brasil.

*Com informações da Agência Brasil

Cotidiano