PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Após fala de Bolsonaro sobre metrô, secretário faz apelo: 'Fique em casa'

Alexandre Baldy - Ananda Borges/Câmara dos Deputados - 16.abr.2016
Alexandre Baldy Imagem: Ananda Borges/Câmara dos Deputados - 16.abr.2016

Do UOL, em São Paulo

18/03/2020 18h40

Durante a entrevista coletiva concedida na tarde de hoje, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que "a vida continua", apesar do coronavírus, e que os serviços de transporte público ainda estavam cheios. A fala, no entanto, foi rebatida pelo secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy.

"Senhor Presidente Jair Bolsonaro, enquanto gestor da pasta que gerencia o metrô de São Paulo, devo recomendar que fique em casa, a não ser que seja extremamente necessário o uso do transporte. Devido a seriedade e empenho do Governo de São Paulo, todas as atividades que poderiam ser tomadas estão sendo", escreveu ele no Twitter nesta tarde.

Mais cedo, o presidente havia dito que em ônibus e metrôs do Rio de Janeiro e de São Paulo é possível ver lotação e que "não tem que ter histeria". Ele ainda declarou que não seria de se estranhar se alguém o encontrasse no metrô cheio da capital paulista.

O Brasil já registrou três óbitos em função do coronavírus.

Errata: o texto foi atualizado
Diferente do que foi informado no texto, Alexandre Baldy é secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, e não secretário municipal de Transportes Metropolitanos.

Coronavírus