PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: Justiça suspende visita a presídios de chefes do PCC em SP

Covid-19: 4 agentes de prisões são afastados, e um pavilhão é isolado em SP - Gatsi/iStock
Covid-19: 4 agentes de prisões são afastados, e um pavilhão é isolado em SP Imagem: Gatsi/iStock

Flávio Costa e Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

20/03/2020 16h05Atualizada em 20/03/2020 19h49

Resumo da notícia

  • Decisão tem prazo indeterminado e atinge cerca de 80 mil presos em penitenciárias no oeste paulista
  • Juiz atende a pedido o MP e critica governo do estado por não ter tomado medida em todos os presídios de SP
  • Estado restringiu visitas a uma pessoa por final de semana e proibiu entrada de menores de idade, idosos e pessoas com doenças crônicas

A Justiça de São Paulo suspendeu, por tempo indeterminado, as visitas de familiares a detentos dos presídios localizados na região oeste do estado, por causa da pandemia do coronavírus.

A medida atinge cerca de 80 mil presos que cumprem pena em unidades prisionais no interior paulista. Entre os presídios que não poderão receber visitas estão os localizados nas cidades de Presidente Venceslau e Presidente Bernardes, onde ficam presos os chefes estaduais do PCC (Primeiro Comando da Capital). Neste grupo se encontra André do Rap, acusado de negociar drogas com a máfia italiana 'Ndrangheta.

A alta cúpula da maior facção criminosa do país, a exemplo de Marcola, está detida em penitenciárias federais.

Crítica ao governo

O juiz da Vara de Fazenda Pública de Presidente Prudente, Darci Lopes Beraldo, atendeu ao pedido do Ministério Público de São Paulo. Ele criticou o governo de São Paulo por não ter tomado ainda a medida em todo o sistema prisional do estado, o maior do país, onde estão detidos mais de 324 mil presos.

"Incompreensível como que, diante da pandemia, com medidas restritivas de direitos adotadas mundo afora, somente vistas em filmes de ficção, o governo de São Paulo ainda não tenha tomado medida tão necessária com a da suspensão de visitas nas unidades penais".

Beraldo citou ainda, em sua decisão, o apelo feito pelo promotor de Justiça Lincoln Gakiya, integrante do Gaeco (Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público paulista.

"Confiamos no bom senso e na humanidade do governo do estado de SP, que deverá suspender TODAS as visitas no sistema prisional a partir deste fim de semana", escreveu o promotor em seu perfil numa rede social.

A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) estabeleceu novas regras para visitas de presos, a exemplo da limitação de um visitante por final de semana e a proibição da entrada de menores de idade, idosos e pessoas com doenças crônicas.

Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária afirmou que dará cumprimento à decisão judicial e o assunto será objeto de análise pela Procuradoria Geral do Estado.

Coronavírus