PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Médico infectado tem contato com pacientes, e cidade gaúcha fecha limites

Bagé entrou em estado de calamidade pública após dois casos do novo coronavírus em maior hospital da cidade - Divulgação
Bagé entrou em estado de calamidade pública após dois casos do novo coronavírus em maior hospital da cidade Imagem: Divulgação

Herculano Barreto Filho

Do UOL, no Rio

20/03/2020 16h49

O caso do médico que entrou em contato com a população pelo SUS por três dias depois de voltar de uma viagem ao Rio de Janeiro com o novo coronavírus fez com que Bagé, cidade no interior do Rio Grande do Sul com apenas 120 mil habitantes, entrasse ontem (19) em estado de calamidade pública.

Policiais militares fazem plantão na entrada do município para impedir o ingresso de veículos vindos de outros locais por 15 dias. O decreto ainda obriga os comerciantes a fixar horário para atender clientes com mais de 60 anos. Além dele, outro profissional da área de saúde também foi confirmado com coronavírus. O Rio Grande do Sul já contabiliza 37 casos.

O traumatologista Jorge Moussa, de 59 anos, que preside a Santa Casa de Caridade, principal hospital da cidade, teve contato com pacientes e participou de uma reunião com médicos. Ele agora está internado no hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre (RS).

Pelo menos dez funcionários da unidade hospitalar estão com suspeita de terem contraído o covid-19 e cerca de 200 pessoas são mantidas em isolamento. Raul Antônio Ramos Vallandro, administrador da unidade hospitalar também infectado, falou com o UOL sobre o caso.

"Aqui em Bagé, o que assustou a população foi pelo fato de ter vindo da Santa Casa. A repercussão tem sido grande. Infelizmente, a tendência é que o vírus se espalhe, porque o contágio é rápido. Mas há isolamentos e prevenção na cidade inteira, com indicação para que as pessoas fiquem em casa".

Coronavírus