PUBLICIDADE
Topo

ACM Neto amplia quarentena e critica Bolsonaro por fritar Mandetta

ACM Neto, prefeito de Salvador - Max Haack/Secretaria de Comunicação
ACM Neto, prefeito de Salvador Imagem: Max Haack/Secretaria de Comunicação

Alexandre Santos

Colaboração para o UOL, em Salvador

07/04/2020 14h34

O decreto de quarentena que determina o fechamento de bares, restaurantes, casas de shows, boates, salões de beleza e templos religiosos em Salvador será prorrogado por mais 15 dias, anunciou hoje o prefeito ACM Neto (DEM). A medida, que começou a vigorar no dia 25 de março, expiraria nesta quarta (8). Agora, o novo prazo valerá até 21 de abril. Das 13 mortes decorrentes do novo coronavírus registradas até o momento na Bahia, 11 ocorreram na capital.

Também permanecerá vedada no mesmo período a abertura de mercados municipais cujos produtos comercializados não sejam essenciais, a realização de atividades sonoras e a venda de bebidas alcoólicas em lojas de conveniência de postos de combustíveis -à exceção de atendimentos por delivery.

Na última semana, o gestor soteropolitano já havia decido prorrogar, também por 15 dias, um decreto que proíbe o funcionamento de escolas públicas e privadas, universidades, autoescolas, parques públicos e privados, espaços culturais e academias da cidade.

Críticas a Bolsonaro e defesa de Mandetta

Presidente nacional do Democratas, ACM Neto classificou como "surreal" e "lamentável" a tentativa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de enfraquecer o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, um dos seus três aliados que integram o governo.

"Eu espero que, depois de ontem, que o presidente decidiu manter o ministro no cargo, dê ao ministro paz para trabalhar. Ninguém consegue trabalhar desse jeito. Sem saber se no dia seguinte seu nome vai estar sendo fritado na imprensa ou o seu nome vai estar no Diário Oficial. Tudo que o país não precisa é disso", disse.

"É uma coisa surreal. Nós estamos vivendo a crise mais séria, não só de saúde pública, mas eu diria que o maior desafio e da minha geração e dos meus pais, com certeza. Num momento como esse, se espera coordenação, se espera trabalho articulado, se espera suporte técnico e científico nas tomadas de decisões", reiterou o prefeito de Salvador.

"O ministro vem fazendo o seu trabalho com muita competência. Vem sendo uma voz tranquilizadora pro país. Vem sendo a bússola da tomada de decisões extremamente corretas. Tem o suporte unânime de governadores e prefeitos", acrescentou.

Embora tenha apoiado a eleição de Bolsonaro em 2018, ACM Neto nega que o DEM faça parte da base de governo e afirma que a legenda nunca interferiu para que os quadros do partido integrassem a equipe ministerial.

Atualmente, além de Mandetta, ocupam cargos na Esplanada os democratas Onyx Lorenzoni (Cidadania) e Tereza Cristina (Agricultura).

"Desde 2018, pós-eleição, quando o presidente escolheu os três ministros para integrar o seu governo, essa foi uma escolha do presidente da República. Ele não me deve, e nem ao meu partido, nenhum tipo de satisfação. Ele mantém ou não até o dia que ele quiser. O Democratas não integra a base do governo", declarou ACM Neto.

Coronavírus