PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Comércio de rua e imobiliárias reabrem em SP; saiba o que permanece fechado

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

10/06/2020 12h15

Resumo da notícia

  • Comércio de rua e imobiliárias abrem a partir de hoje em SP
  • A partir de amanhã os shoppings também poderão abrir
  • Escritórios e concessionárias de carro já estavam funcionando
  • A abertura precisa seguir regras, como horário de funcionamento restrito
  • Muitos setores permanecerão de portas fechadas, como bares e salões de beleza

As lojas de rua e as imobiliárias da cidade de São Paulo receberam autorização da prefeitura para reabrir a partir de hoje. Esses setores precisam respeitar regras de segurança e um novo horário de funcionamento.

Só a partir de amanhã, véspera do dia dos namorados, os shoppings centers poderão abrir. Outros setores econômicos permanecerão de portas fechadas até que a cidade entre em uma nova fase de flexibilização da quarentena.

Veja a lista do que já abriu, do que ainda permanecerá fechado e conheça as regras que os empresários terão de respeitar.

O que abre a partir de hoje?

  • Comércio de rua
  • Imobiliárias

O comércio poderá abrir as portas entre 11h e 15h. As imobiliárias também poderão funcionar por 4 horas diárias. Sem hora específica, a prefeitura exige apenas que "abertura e fechamento não ocorra durante o horário de pico".

Quando os shoppings poderão funcionar?

A partir de quinta-feira (11). Esses centros comerciais terão de escolher entre duas opções de horário para funcionar: ou trabalham das 6h às 10h ou das 16h às 20h. As lojas de shopping estão proibidas de receber mais do que 20% do público que costumavam atender diariamente.

Quais são as regras de funcionamento?

A prefeitura só permitiu a abertura desses setores depois que suas entidades representativas assinaram um protocolo de regras que precisarão respeitar, como o horário restrito de funcionamento.

As entidades se comprometeram com medidas de distanciamento social, higiene, sanitização de ambientes, orientação dos clientes e funcionários, testagem de colaboradores e medição de temperatura dos clientes.

Além do expediente reduzido, o setor precisará oferecer a opção de agendar atendimento. Os trabalhadores com filho pequeno que dependam das creches fechadas terão a opção de trabalhar de casa.

A polêmica ficou para a fiscalização, realizada pelo próprio setor, o que a prefeitura chama de "autotutela".

Que setores já estavam abertos?

  • Escritórios
  • Concessionárias de veículos

Esses setores receberam autorização para funcionar na última sexta-feira (5), também com regras de higiene e funcionamento: horário restrito a quatro horas para atender o público e fechamento sempre fora do horário de pico.

Desde o início, apenas serviços essenciais, como supermercados, farmácias, padarias, postos de gasolina, construção civil e a indústria, não pararam de funcionar.

O que permanece fechado?

Até que a capital avance para as fase seguinte da reabertura, permanecem fechados:

  • Salões de beleza
  • Bares
  • Restaurantes
  • Lanchonetes
  • Academias
  • Escolas
  • Parques
  • Cinemas
  • Teatros
  • Casas de show
  • Eventos esportivos

Como o governo classifica cada localidade?

O governo levou em consideração diversos critérios, como taxa de ocupação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e leitos para cada 100 mil habitantes. Tais indicadores são avaliados em conjunto com dados de casos, internações e mortes por covid-19. O peso de cada indicador, no entanto, não foi revelado.

Ainda preciso usar máscara?

Sim. Quando anunciou a flexibilização da quarentena, o governador João Doria (PSDB) condicionou a medida ao uso obrigatório da máscara.

"Ela [a flexibilização] será possível nas cidades que tiverem redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em seus hospitais públicos e privados e estiverem obedecendo o distanciamento social nos ambientes públicos, além da disseminação e do uso obrigatório de máscaras", afirmou.

Comércio de rua reabre hoje em São Paulo

Band News

Coronavírus