PUBLICIDADE
Topo

Prefeito de Belo Horizonte suspende flexibilização e ameaça lockdown

"A situação de Minas Gerais se tornou gravíssima", afirmou Alexandre Kalil - Amira Hissa/Prefeitura de Belo Horizonte
"A situação de Minas Gerais se tornou gravíssima", afirmou Alexandre Kalil Imagem: Amira Hissa/Prefeitura de Belo Horizonte

Do UOL, em São Paulo

23/06/2020 18h26

Para o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), a situação da cidade em relação ao novo coronavírus "não é boa". Ele afirmou que, dependendo dos números divulgados hoje, pode decidir sobre um lockdown da capital mineira.

"Estou esperando resultado de hoje, mais tarde, mas se amanhã eu precisar convocar a imprensa e fechar cidade, não tenho o menor constrangimento em fazer isso. A situação de Minas Gerais se tornou gravíssima, despreparada e apavorante, como eu disse em março", disse em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes.

Ele já havia ameaçado o lockdown na sexta-feira (19). Em coletiva, ele disse que "se a população de Belo Horizonte continuar avacalhando, vou fechar a cidade".

Kalil também descartou a possibilidade de permitir a abertura de estabelecimentos como bares, shoppings, restaurantes e outras lojas: "O que eu posso falar é que eu não vou abrir. Posso falar porque os cientistas já falaram que o momento é perigoso".

"Não tem nada muito bom [em Belo Horizonte], não. O ouvinte falou que está tudo bem em Belo Horizonte, 80% de leitos de UTI ocupados é péssimo, horrível. Estamos em guerra", argumentou o prefeito.

A capital mineira tem 4.667 casos confirmados do novo coronavírus, e 96 mortes pela doença.

Coronavírus