PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês
Bingos com maioria de frequentadores idosos são fechados em Santos

Locais funcionavam com ar-condicionado e sem ventilação natural, aumentando as chances de contaminação pelo coronavírus - Divulgação/Polícia Militar
Locais funcionavam com ar-condicionado e sem ventilação natural, aumentando as chances de contaminação pelo coronavírus Imagem: Divulgação/Polícia Militar

Do UOL, em São Paulo

10/07/2020 10h14

Uma operação feita pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e pela PM (Polícia Militar) fechou ontem dois bingos clandestinos em Santos, no litoral paulista. Os locais eram frequentados por uma maioria de clientes idosos, o que preocupou as autoridades em função de se tratar de um grupo de risco em meio à pandemia do coronavírus.

Segundo o MP-SP (Ministério Público de São Paulo), que tem o Gaeco como um de seus grupos de atuação, um dos locais abrigava mais de 20 pessoas e 90% eram idosos. Os bingos clandestinos atuavam nos bairros do Gonzaga e do Boqueirão.

No bingo do Gonzaga, que ficava na Rua Euclides da Cunha, foram encontradas 60 máquinas caça-níqueis e 27 apostadores. Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), dez delas foram apreendidas. Já no Boqueirão eram dez máquinas do mesmo tipo e três clientes presentes no momento da ação.

Também foram encontrados valores em dinheiro em ambos os locais. No Gonzaga, a polícia achou cerca de R$ 48.300 escondidos dentro de um forro e até no lixo. No bingo do Boqueirão foram confiscados aproximadamente R$ 18.000 em dinheiro.

O promotor Vinicius Rodrigues França, que acompanhou a operação, demonstrou preocupação com a presença de idosos nos locais, que não eram arejados e, portanto, aumentam as chances de contaminação pelo coronavírus.

"Havia muitos idosos. Constatamos que a grande maioria, algo em torno de 90% das pessoas que estavam nas casas, tinha mais de 60 anos de idade", disse França.

"Todos esses espaços são fechados, funcionam com o ar-condicionado ligado, e no local havia pessoas sem máscaras. Isso pode configurar o crime de periclitação da vida", acrescentou o promotor.

Os responsáveis responderão por contravenção penal de exploração de jogo de azar, mas a investigação também tentará identificar os proprietários dos bingos para apurar possíveis crimes de lavagem de dinheiro. O caso foi registrado no 7º DP (Distrito Policial) de Santos como jogo de azar e infração de medida sanitária preventiva.

A operação deflagrada ontem contou com 20 policiais militares do 6° Batalhão do Interior, alguns deles do pelotão de Força Tática, e dois promotores do Gaeco. Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão.

Cotidiano