PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses
Dentista investigado por golpe de R$ 5 mi no pôquer pilota Ferrari no DF

Siga o UOL no

Nathalia Zôrzo

Colaboração para o UOL, em Brasília

26/07/2020 16h44

Um dentista de 32 anos está sendo investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal por aplicar golpes milionários contra pelo menos oito empresários em jogos de pôquer. A polícia acredita que ele tenha movimentado algo em torno de R$ 5 milhões, e por isso levava uma vida de luxo e desfilava por Brasília em uma Ferrari avaliada em quase R$ 1 milhão.

Uma das vítimas, de 29 anos, diz que foi procurada pelo suposto golpista durante uma jogatina com amigos em comum, em meados de abril do ano passado. O empresário foi convencido a apostar no talento do dentista com as cartas em torneios de pôquer e depois o suposto golpista investiria o dinheiro, com a promessa de devolver com rentabilidade de 8% a 15% ao mês. Ele dizia que trabalhava com a variação cambial de dólar, euro e bitcoin, uma moeda digital.

A vítima começou transferindo em torno de R$ 100 mil. A suposta rentabilidade desse primeiro investimento teria sido usada, segundo o dentista, para amortizar o valor principal e ele prometeu pagar assim que conseguisse.

A vítima contou que, para ter seu investimento de volta acrescido de juros, o dentista ainda o convenceu a aplicar mais dinheiro na aposta. O esquema durou de abril de 2019 até janeiro de 2020 e nesse período o empresário transferiu ao todo R$ 780 mil ao dentista. O suposto golpista também pediu indicação de outros empresários para participar do esquema e assim pagar o capital aportado inicialmente e os juros.

O caso está sendo investigado como crime contra a economia popular, mas pode virar um estelionato dependendo dos rumos da investigação.

Golpe da 'pirâmide'

"É um golpe muito antigo conhecido como pirâmide", explicou ao UOL o delegado Sérgio Bautzer, da 19ª Delegacia de Polícia, que investiga o caso.

"Nesse esquema, o golpista tira dinheiro de umas pessoas e passa para outras, movimentando altos valores e dando a impressão de que é um negócio de alta rentabilidade. Você tem um produto que não existe e ninguém liga para isso, porque só querem saber da alta rentabilidade", acrescentou o delegado.

No esquema de pegar dinheiro de empresários e pagar parcelas menores para quem havia investido primeiramente, a polícia acredita que o dentista tenha movimentado algo em torno de R$ 5 milhões.

Uma das vítimas, que não quis se identificar e que ainda não registrou denúncia na delegacia, contou ao UOL que o veículo de luxo foi adquirido logo depois que ele transferiu R$ 760 mil para o negócio. Outros dois empresários investiram R$ 300 mil e R$ 600 mil no esquema.

No mês passado, a corrente de empresários que foram lesados no esquema se rompeu. O suposto golpista não conseguiu mais manter as parcelas para os investidores antigos e fugiu. A polícia tem informações de que ele está em Orlando, nos Estados Unidos. O delegado disse que as vítimas se organizaram em um grupo de WhatsApp depois que perceberam a fraude, mas nem todos registraram denúncia ainda.

O UOL não conseguiu contato com o dentista, que não tem antecedentes criminais. Por esse motivo, o nome dele não foi publicado.

Cotidiano