PUBLICIDADE
Topo

PM apreende oito fuzis de guerra no assalto em Botucatu, diz secretário

30.jul.2020 - Arma com marca "1533", do PCC, apreendida após assalto a banco em Botucatu - Divulgação
30.jul.2020 - Arma com marca "1533", do PCC, apreendida após assalto a banco em Botucatu Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

30/07/2020 19h41

A Polícia Militar apreendeu oito fuzis, uma metralhadora 9 milímetros e munição .50 durante o assalto realizado por integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) a uma agência do Banco do Brasil, na madrugada de hoje, em Botucatu, segundo o secretário de Segurança Pública de São Paulo, General Campos.

"Nós apreendemos oito fuzis, fuzil de guerra, uma metralhadora 9 milímetros, e a munição do fuzil .50. Ou seja, nós tivemos eficientemente aplicado para combater esse pessoal", afirmou o secretário General Campos em entrevista ao Brasil Urgente.

A Polícia Civil afirma que o assalto tem ligação direta com as toneladas de drogas apreendidas pela PM nas últimas semanas, e a facção estaria tentando reaver o dinheiro perdido. Segundo o general, essa foi a maior apreensão de drogas do estado, com 125 toneladas recolhidas.

"Nós fizemos a maior apreensão de drogas da história. Estamos com mais de 125 toneladas de drogas apreendidas. Ou seja, tanto a Polícia Militar ou a Civil, tem feito apreensões memoráveis."

De acordo com o secretário, a PM só teve efetividade na ação por estruturar batalhões especiais no Interior, como o comando do Choque, que entrou em confronto no assalto de hoje. Campos ainda afirmou que o governo irá instalar novos batalhões do Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) nas cidades de Bauru e Araçatuba.

"Essa gestão está articulando a reserva, colocando batalhões de operações especiais de polícia na mão dos comandantes do policiamento do interior. Nós já estamos com cinco batalhões instalados, e muito em breve iremos instalar o Baep em Bauru e outro em Araçatuba. Nós já temos batalhões em Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Presidente Prudente, Santos e Campinas."

Segurança pública