PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
5 meses

PA: Motociclista que caiu em bueiro deixará UTI após cirurgia, diz irmão

A estudante Mayara Santos - Arquivo Pessoal
A estudante Mayara Santos Imagem: Arquivo Pessoal

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Ponta Grossa

11/08/2020 21h55

Cinco dias depois de protagonizar um acidente de trânsito que viralizou nas redes sociais, a universitária Mayara Santos, de 27 anos, conseguiu ontem passar por uma cirurgia para tratar da lesão na coluna e deverá deixar a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) nos próximos dias, diz a família. A jovem conduzia uma motocicleta em Paragominas, no Pará, e caiu dentro de um bueiro ao ser atingida por um carro.

O acidente sofrido por Mayara foi registrado na quinta-feira (6) por câmeras de segurança. O vídeo mostra a mulher sendo atropelada por um veículo que fazia a conversão à esquerda. Ela seguia para um almoço na casa de uma amiga quando foi atingida ao conduzir a moto em linha reta. O impacto da batida a empurrou para dentro de um bueiro. Pedestres a socorreram logo em seguida.

Mayara teve uma lesão grave na parte inferior da coluna e esperava por cirurgia, com risco de sequelas no movimento das pernas, segundo a família. Ela está internada no Hospital Regional de Paragominas e aguardava a chegada de órteses e próteses para ser submetida ao procedimento. Na ocasião, o governo do Pará informou que a disponibilidade do material na unidade, que fica a 306 quilômetros de Belém, ocorre sob demanda.

De acordo com a família, agora com a cirurgia, os médicos afastaram a possibilidade de sequelas no movimento das pernas.

"Deu tudo certo na cirurgia, sem qualquer problema. Pelo que o médico passou para a gente, ela deve ir para a enfermaria nos próximos dias porque até agora não teve nenhuma complicação. Depois disso, deve ir para fisioterapia. Tinha o risco de afetar as pernas por causa da medula, mas, felizmente, o resultado foi bem positivo", comemorou o irmão da motociclista, o contador Bruno Santos.

Motociclista não sabe da repercussão

Internada desde o dia do acidente, Mayara ainda não sabe da repercussão das imagens, de acordo com a família. Informada de que o acidente foi registrado por câmeras de segurança, ela também optou por não ver vídeo antes da cirurgia.

"Ela ainda não tem noção da repercussão do acidente. Nem chegou a ver o vídeo porque não tivemos coragem de mostrar e ela também não queria ver antes do procedimento cirúrgico. Quem sabe depois", contou Santos.

A família ainda não registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil porque o motorista que atropelou Mayara está "ajudando como pode". A Polícia Militar do Pará também informou que deixou de compareceu ao local porque as equipes do 19º batalhão, responsável pelo policiamento em Paragominas, não foram acionadas para atender o caso.

Cotidiano