PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
Mulher que teve corpo incendiado no ES brigou por ciúmes, diz namorada

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória

12/08/2020 17h36Atualizada em 13/08/2020 12h43

A modelo Katiuscia Mota, de 31 anos, teve uma briga motivada por ciúmes momentos antes de ter o corpo incendiado, segundo a namorada da modelo, que pediu para não ter o nome divulgado. De acordo com ela, Katiuscia teria colocado fogo na própria blusa com um isqueiro. O caso ocorreu em um condomínio em Serra (ES), na região metropolitana de Vitória, na última segunda-feira (10).

Nas imagens flagradas por câmeras de segurança, a namorada de Katiuscia aparece de camisa azul. A autônoma disse que passou todo o dia discutindo com a modelo. Na briga, Katiuscia teria quebrado parte do material de trabalho dela, que é inflamável.

"Estávamos discutindo o dia todo. Tudo por causa de ciúmes. Eu também tenho ciúmes. Eu trabalho fabricando perfumes, e ela quebrou praticamente todo o meu material de trabalho. Na hora, caiu álcool em mim e nela também", contou.

Katiuscia Moura - Marcelo Alves/Revista Essence - Marcelo Alves/Revista Essence
Katiuscia teve quase 40% do corpo queimado e deve ficar um mês em tratamento
Imagem: Marcelo Alves/Revista Essence

A jovem perguntou a Katiuscia se ela iria colocar fogo nas duas. Depois disso a autônoma saiu, mas continuaram a discutir do lado de fora do apartamento, segundo ela. Em poucos segundos, a modelo teria acionado o isqueiro três vezes até acender e colocado fogo na blusa.

"Em três segundos eu vi um clarão enorme. Eu tentei abrir a porta de vidro, mas eu não consegui e ela estava em chamas. Um vizinho nosso que abriu a porta e aí tentamos apagar o fogo. Chegou até pegar no meu short, mas consegui apagar. Foi desesperador, tudo por ciúmes", disse a jovem.

Mãe diz que modelo pode ter sido "desafiada"

A segurança Marilza Silva, 50, mãe de Katiuscia, disse à reportagem que acredita que a filha pode ter sido "desafiada" a se queimar. "Eu não sei o que aconteceu. Minha filha pode ter sido desafiada, ela não gostava de que alguém falasse para ela 'eu duvido'. Ela pode ter se queimado mesmo, ou alguém a queimou."

Marilza contou que foi avisada pela namorada da filha sobre o incidente dentro do condomínio. Ela chegou a visitar Katiuscia ontem na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital Jayme Santos Neves. O estado da modelo é estável.

"A minha filha está muito queimada. Tem sentido muitas dores. Está tomando muitas doses de morfina para suportar tudo. O pouco que fala, pergunta do cabelo, sobre o filho de 12 anos. Cheguei a perguntar sobre o que teria acontecido. Ela está muito confusa, não dá para saber", disse a mãe.

O empresário e primo de Katiuscia, Donnie Allison Mota, não acredita que a modelo seria capaz de atear fogo no próprio corpo. "Ela era muito vaidosa com o corpo. Se preocupava muito. Era o trabalho dela. Eu não acredito que ela tenha feito isso. Muito difícil de acreditar", disse.

40% do corpo queimado

A modelo teve praticamente 40% do corpo queimado. As chamas atingiram o cabelo, as nádegas, perna direita e também parte do braço. Ela foi socorrida e está recebendo os cuidados no Hospital Jayme Santos Neves, também em Serra, referência no tratamento com queimados. Deve permanecer no local por pelo menos um mês.

A modelo e a companheira estão juntas há quase um ano. As duas se mudaram para o apartamento há cerca de 20 dias. "Eu não queria que isso tivesse acontecido. Estão falando que eu teria colocado fogo nela, eu nunca faria isso com quem eu amo. Eu estou com a mãe dela, nós vamos cuidar dela", afirmou.

A Polícia Militar chegou a ir ao local do fato no dia, mas não encontrou ninguém que pudesse registrar o ocorrido no prédio. Investigadores da Polícia Civil estiveram hoje à tarde no hospital para conversar com a mãe de Katiuscia. Eles informaram que iriam investigar o caso para saber o que realmente aconteceu com a modelo. Nenhum boletim de ocorrência do caso ainda foi feito.

Cotidiano