PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses
Médica picada por jararaca no MT lembra dor insuportável: 'Desesperador'

Do UOL, em São Paulo

13/09/2020 21h28

A médica Dieynne Saugo, que foi picada por uma cobra jararaca em uma cachoeira na cidade de Nobres, no Mato Grosso, no fim de agosto, detalhou hoje o momento em que foi atacada. Em entrevista ao "Fantástico", da Globo, ela relatou que a dor era insuportável e que chegou a ter hemorragia.

"Foi desesperador porque a dor era insuportável. Meu braço começou a inchar, eu comecei a vomitar sem parar, ter hemorragia", disse.

Dieynne Saugo também afirmou que não conseguiu ver exatamente de onde a jararaca apareceu.

"Eu vi ela entrando no colete. Na tentativa de me proteger, quando eu tirei eu saí nadando, gritando", relatou a médica, que disse ter levado a primeira picada na região do rosto. "Eu só senti ela caindo próximo do meu pescoço. A primeira picada foi nessa região (apontando para o rosto). Logo em seguida, eu fui com a mão esquerda tirar e foi quando eu tomei duas picadas na mão."

A médica, que está internada e ainda descobriu que está com covid-19, afirmou que não vê a hora de retornar para casa. Ela ainda disse que pretende volta a frequentar cachoeiras.

"Eu amo a natureza. Eu amo cachoeira, não vou deixar de frequentar", contou.

A médica, que ficou por nove dias internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, permanece na unidade de terapia semi-intensiva do local. Ela passou por três cirurgias em 10 dias.

Cotidiano