PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
Mulher diz ter sido chamada de 'vagabunda' antes de confusão no Leblon

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

27/09/2020 13h55

Uma das mulheres de biquíni envolvidas em uma briga que aconteceu na noite de anteontem (25), no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro, afirma que, antes de agredir, foi chamada de "vagabunda" pela mulher que estava sentada em um bar.

Sheila e Priscilla estavam de biquíni em um conversível branco dirigido por homem identificado como Will. Elas afirmam que estavam curtindo pelas ruas do Leblon depois de terem bebido e participado de uma festa em uma lancha.

Quando o trânsito parou na rua Dias Ferreira, a arquiteta Aline, que estava sentada em um restaurante, arremessou garrafas plásticas de água contra o veículo.

Shelia desceu do conversível e revidou com um tapa. Um homem que estava sentado no restaurante, então, puxou a parte de cima do biquíni e a arrancou, antes de o carro deixar o local.

Segundo relato de Sheila divulgado em seu Instagram hoje, porém, ela afirma que o vídeo que repercutiu nas redes sociais flagrou apenas parte da confusão. Ela diz ter sido xingada de "vagabunda" por Aline antes.

"Quando passamos numa rua mais movimentada, escuto uma garota falar assim: 'vagabunda', olho para o lado, vejo ela com cara de deboche me mandar um beijo. Achei desnecessário, dei até risada, achei engraçado, pensei 'será que ela quer vir até aqui, quer participar?'. E continuamos", disse.

"O carro andou um pouquinho. Não satisfeita, ela taca uma garrafa d'água nas minhas costas, bem na hora que eu estava agachada (...) Tomei a garrafada nas costas, olhei diretamente para ela, porque eu já sabia que era ela, porque ela já tinha mexido comigo. Ela, com a maior cara de deboche, me manda outro beijo. Como eu não tenho sangue de barata, minha reação foi pular do carro", acrescentou.

Ela disse, também, que, ao pular do carro, não soube ao certo o que fazer, mas ficou furiosa quando Aline disse "vem", segundo seu relato. "Apanhei, revidei. Tô certa? Eu acho que eu tô. Tenho certeza de que não mereço apanhar à toa. Tenho minha filha, não ensino violência a ela, mas ensino a se defender. Enfim, bati, bati, sim, ela não se esquivou, bati com força e foi um tapa bem dado", afirmou.

Na noite de hoje, a arquiteta Aline Cristina Silva afirmou na sua página em uma rede social que estava acompanhada de duas crianças e idosos quando, segundo ela, foi surpreendida por "cenas de atentado ao pudor". "Estavam fazendo preliminares, parecendo um filme pornô bem ali na nossa frente, de camarote", afirmou a arquiteta. Procurada pela reportagem ontem e hoje, ela não se manifestou.

Will, que estava dirigindo o carro, aceitou conceder uma entrevista à reportagem sobre o assunto, mas parou de responder as mensagens. Priscilla, que também estava no carro, não respondeu aos pedidos de entrevista.

Cotidiano