PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
PM é preso após disparar tiros dentro de bar no interior de Pernambuco

Colaboração para o UOL, no Recife

19/10/2020 20h07

Um policial militar de 38 anos foi preso na madrugada de ontem após dar tiros dentro de um bar no interior de Pernambuco. O caso aconteceu em Caruaru, no Agreste do estado, cidade localizada a cerca de 136 quilômetros do Recife.

Segundo a Polícia Civil, o PM teria puxado a arma "após uma discussão entre um casal" que estava no estabelecimento. Ao menos seis disparos foram feitos, causando tumulto e correria dos clientes.

Em vídeo que circula nas redes sociais, clientes são vistos assustados após um estalo, que seria um dos tiros. Um casal recua abraçado, enquanto um grupo de três pessoas (duas mulheres e um homem) está abaixado, ao lado da bancada das bebidas. Em dado momento, diversas pessoas saem apressadas do bar onde ocorreu o caso, no bairro de Indianópolis.

Segundo a Polícia Civil, uma equipe do Biesp (Batalhão Integrado Especializado) da PM, "que realizava rondas próximo do local do fato, seguiu para lá e conseguiu controlar a situação". O homem foi preso em flagrante delito "por dano e depredação e disparo de arma de fogo".

Em nota, a Polícia Militar de Pernambuco informa que o PM integra o 15º Batalhão, sediado em Belo Jardim, cidade próxima a Caruaru, também no Agreste do estado. O PM "foi apresentado na audiência de custódia e vai responder o processo em liberdade". Além disso, foi aberto Procedimento Administrativo Disciplinar "para apurar o fato".

Por fim, o estabelecimento lamentou o ocorrido, classificando o episódio como um "incidente isolado, onde todas as medidas administrativas e policiais já foram tomadas". Em nota, o bar afirma que não houve feridos, apenas "danos materiais causados pela saída repentina dos clientes".

"Nos colocamos à disposição de todos, como sempre fizemos para garantir segurança, tranquilidade, felicidade e respeito por todos, pois, a nossa satisfação é em ver pessoas felizes em nosso estabelecimento", conclui o texto.

Cotidiano