PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
Corpo de idosa é achado carbonizado após roubo; suspeito é morto na prisão

Corpo de idosa de 83 anos é achado carbonizado no RS - Reprodução/TV Globo
Corpo de idosa de 83 anos é achado carbonizado no RS Imagem: Reprodução/TV Globo

Júlia Viviane Kurtz

Colaboração para o UOL, em Aratiba (RS)

19/11/2020 07h43

Um homem foi preso acusado de latrocínio após ter matado uma idosa e depois atear fogo em sua casa. O crime ocorreu em Carazinho (RS), na manhã de hoje (18). O acusado foi levado ao Presídio Regional da cidade e foi morto no início da noite.

Após confessar a morte de Nelcy Brizolla Machado, de 83 anos, e ser preso por latrocínio, Marcelo Shalemberg, de 28 anos, dividia a cela com outros detentos, mas, segundo a polícia, estava sozinho nela antes de o homicídio ocorrer. Os agentes penitenciários perceberam sua falta durante uma conferência dos presos e o encontraram já morto.

Um outro apenado confessou o crime, informa o delegado Geri Adriani Mendes, delegado plantonista da Delegacia de Polícia de Carazinho. Ele alegou que agiu em legítima defesa e ainda não se sabe se a ação está relacionada ao latrocínio. "A única versão dos fatos que nós temos é a do autor do homicídio", aponta.

"Ele [o preso] entrou na cela e o outro veio para cima dele e começou a estocá-lo. Eles entraram em luta corporal e o preso conseguiu tomar a arma e passou a desferir estocadas", acrescenta. Shalemberg caiu no canto da cela e o acusado afirmou que não teria percebido que ele havia morrido.

Latrocínio

Na manhã do mesmo dia, Shalemberg foi até a casa de Nelcy que o ajudava desde a infância.

Segundo a polícia, ele teria pedido dinheiro para comprar drogas. Quando a idosa de 83 anos negou, arrombou a casa e a imobilizou.

Em seguida, o suspeito asfixiou a vítima até que ela desmaiasse e a amarrou, passando em seguida a roubar objetos da casa para disfarçar a motivação do crime. Depois, colocou fogo em um sofá da sala e fugiu. A idosa morreu carbonizada.

O acusado foi reconhecido através de imagens de câmera de segurança. Ele também foi reconhecido por vizinhos.

Shalemberg foi preso na casa de amigos que também seriam usuários de drogas. Eles confirmaram que o acusado tentara esconder objetos roubados no local.

O acusado confessou o crime, foi preso por latrocínio e, por fim, levado ao Presídio Estadual de Carazinho, onde morreu.

Cotidiano