PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Ônibus tinha situação regular, diz Star; empresa, porém, não tem registro

Acidente entre um ônibus da Star e um caminhão entre Taguaí (SP) e Taquarituba (SP) deixou 41 mortos e 11 feridos. - Reprodução/TV Globo
Acidente entre um ônibus da Star e um caminhão entre Taguaí (SP) e Taquarituba (SP) deixou 41 mortos e 11 feridos. Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

26/11/2020 11h14Atualizada em 26/11/2020 11h41

A Star Fretamento e Locação Eirelli EPP, empresa responsável pelo ônibus envolvido em um acidente em Taguaí (SP), emitiu nota dizendo estar prestando auxilio para as vítimas e afirmou que toda a documentação do veículo envolvido no ocorrido está em situação legal.

Porém, de acordo com a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), a Star não possui registro para transporte de passageiros e roda ilegalmente desde outubro de 2019.

Só em 2020, foram registradas pelo menos três infrações cometidas pela empresa:

  • 3 de março: Multada por fazer fretamento irregular na Rodovia Raposo Tavares, próximo ao km 296, ao transportar 30 estudantes que saíram da cidade de Fartura (SP) rumo a Avaré (SP);
  • Ainda em 3 de março: Nova multa aplicada à empresa por transportar, novamente de forma irregular, 43 estudantes com mesma origem e destino;
  • 5 de março: Novo fretamento irregular, desta vez de 15 passageiros, foi interceptado na Rodovia Raposo Tavares, na altura do km 372, em Ourinhos (SP).

Na nota, a Star apenas se limitou a dizer sobre a legalidade documental do ônibus, mas não da empresa, afirmando que "toda a documentação relativa ao veículo envolvido no trágico acidente está em conformidade com os órgãos governamentais e em perfeita validade".

A empresa também afirmou estar prestando "todas as informações solicitadas pelas autoridades para que se possa apurar as circunstâncias do acidente, aguardando, então, a conclusão do laudo pericial".

O UOL procurou a Star para que ela se manifestasse sobre sua situação regulamentar junto à Artesp. Por e-mail, a empresa disse estar regular junto à Antt (Agência Nacional de Transportes Terrestres), mas não fala, novamente, sobre sua situação junto à agência estadual.

Artesp fala em irresponsabilidade

O diretor da Artesp, Milton Persoli, classificou como irresponsável a atitude da empresa. Em entrevista à TV Globo, ele reforçou que a empresa apresentava irregularidades no registro.

"O que aconteceu foi uma atitude irresponsável. Tem seu cadastro cassado, tem seu direito, atividade não regulamentada e pratica isso, é uma irresponsabilidade e é crime", disse.

O acidente

O acidente em Taguaí deixou 41 mortos e 11 feridos. A batida entre o ônibus da Star e um caminhão aconteceu no km 172 da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho (SP-249), entre Taguaí e Taquarituba (SP), na região de Avaré (SP).

O ônibus transportava funcionários da empresa têxtil Stattus Jeans, que diz que não tinha relação com o transporte dos empregados.

Para a Polícia Civil, o motorista do ônibus descreveu o momento da colisão com o caminhão.

De acordo com ele, um outro ônibus teria freado bruscamente à sua frente, fazendo-o ter que desviar e invadir a pista de sentido contrário. Em seguida, o freio do veículo que dirigia teria falhado. Nesta manobra, teria batido no caminhão.

Segundo apuração preliminar do Polícia Civil, o acidente teria sido causado por falha humana.

Cotidiano