PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

SC: Mãe é a principal suspeita de abandonar bebê em caixa de sapato

Bebê é encontrado em caixa de sapato em Balneário Camboriú - Divulgação / Samu
Bebê é encontrado em caixa de sapato em Balneário Camboriú Imagem: Divulgação / Samu

Giorgio Guedin

Colaboração para o UOL, em Blumenau (SC)

30/11/2020 19h47

A mãe é a principal suspeita por abandonar uma bebê que foi encontrada em uma caixa de sapatos no último sábado (28) em Balneário Camboriú. A mulher de 31 anos prestou depoimento na tarde de hoje na DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso) da cidade e teria confessado o crime.

No depoimento, a acusada afirmou que, no sábado, sentiu muitas dores, pariu a bebê, mas achou que teria sofrido um aborto. "Ela percebeu que a bebê estava com vida, se apavorou, colocou dentro de uma caixa de sapato e deixou na lixeira", afirmou a delegada Inara Danielle Marques Drapalski, ao UOL.

Foi a própria suspeita quem ligou para o Samu comentando sobre o bebê. "Ela saiu do local com algum receio que desse algum problema para ela, voltou para a casa, ligou para o Samu e se identificou por outro nome", comentou Inara.

A suspeita, que mora em Balneário Camboriú, disse ainda que soube recentemente sobre a gravidez, em meados de setembro. "Ela se desesperou, entretanto, ela não havia tomado nenhuma atitude, nem buscar médico para analisar qual situação estava a gravidez", declarou a autoridade policial.

A delegada acredita que a acusada teria tentado um aborto, mas não esperava que a criança já estivesse com cerca de 28 semanas de vida. É este, aliás, o próximo passo da investigação.

A suspeita foi submetida a exames que devem identificar se ela teria tentado abortar o bebê ou foi se o procedimento de parto aconteceu espontaneamente.

A mãe deve ser indiciada por abandono de recém-nascido e, se for comprovado, pela prática do aborto. Ela possui outros dois filhos, que estão sob a guarda do pai, e deve responder o processo em liberdade.

Bebê segue internada na UTI

A bebê, que tem aproximadamente 28 semanas de vida, segue na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal do Hospital Municipal Ruth Cardoso.

Conforme o Conselho Tutelar da cidade, o quadro dela é estável. Caso ela receba alta, a bebê deve ser encaminhada a um abrigo institucional ou para adoção.

Cotidiano