PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher deixa caixa misteriosa na casa do ex; esquadrão antibombas é chamado

Mulher deixa caixa misteriosa na frente da casa do ex no ES - Reprodução
Mulher deixa caixa misteriosa na frente da casa do ex no ES Imagem: Reprodução

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória (ES)

03/12/2020 21h48

Um ex-sargento da Marinha recebeu uma caixa misteriosa na porta de casa por uma pessoa, em Guarapari, no Espírito Santo. O objeto pesado e todo lacrado não tinha identificação. Segundo a polícia, o homem acreditava que a caixa fosse de sua ex, já que teve diversos conflitos com ela.

A vítima recebeu o pacote por volta das 15h de hoje. Em seguida, levou o objeto com cuidado para a delegacia da cidade e avisou as autoridades. O ex-sargento disse, segundo a polícia, que ficou com medo de abrir a caixa e que acreditava na possibilidade de ser até uma bomba.

"Ele chegou na delegacia, deixou a caixa em um local isolado e disse que a sua ex tinha deixado na casa dele. Imediatamente, isolamos a área. Ele contou que era algo muito pesado e, quando avisou da suspeita de bomba, acionamos o esquadrão antibombas da PM", contou o soldado Maurício, ao UOL.

A rua onde a delegacia funciona foi isolada. O esquadrão antibombas chegou ao local às 19h.

O explosivista paramentado analisou durante quase duas horas o objeto, até que ficou decidido explodir o artefato — até então — não identificado. A explosão foi feita dentro de contentor de metal.

O que sobrou da caixa misteriosa após esquadrão antibombas explodi-la - Vinícius Rangel/UOL - Vinícius Rangel/UOL
O que sobrou da caixa misteriosa após esquadrão antibombas explodi-la
Imagem: Vinícius Rangel/UOL

"Como se trata de suspeita de artefato explosivo, é preciso ser feita uma avaliação minuciosa. Usamos um aparelho de raio-x para tentar identificar qual tipo de produto, material que estamos analisando. Como tivemos alguns materiais que não foram identificados e também pelo histórico da ocorrência, optamos por destruir o artefato aqui mesmo", explicou o soldado Menezes.

Após a explosão, foi verificado que existiam metais na caixa, mas também algumas frutas, remédios e outros produtos que serão periciados. O ex-sargento não quis falar com o UOL sobre o caso, que agora será investigado pela Polícia Civil.

Cotidiano