PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
Primos estão entre mortos em acidente de ônibus que caiu de viaduto em MG

Marcondes Teixeira Lima e Izabel Cristina Melo Lima morreram em queda de ônibus de ponte em João Monlevade (MG) - Arquivo pessoal
Marcondes Teixeira Lima e Izabel Cristina Melo Lima morreram em queda de ônibus de ponte em João Monlevade (MG) Imagem: Arquivo pessoal

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória

05/12/2020 11h53

Três pessoas de uma mesma família estavam no ônibus que caiu de um viaduto, ontem à tarde, na BR 381, em João Monlevade (MG) e matou 18 pessoas. Amanda Lima Rodrigues, de 16 anos, morava em Água Branca, no sertão alagoano e sonhava em ser modelo.

A estudante e os primos Marcondes Teixeira Lima, 26, e Izabel Cristina Melo Lima seguiam para São Paulo. Eles embarcaram no ônibus por volta da 11h de quinta-feira (3), para passar uma temporada no estado. Simone Lima, irmã da adolescente, disse que viu a notícia e chegou a ligar para Amanda.

"Ela saiu de manhã na quinta-feira para ir para a casa da nossa outra irmã em São Paulo. Vimos o acidente e tentamos ligar para ela, mas não atendeu. Aí descobrimos que todos estavam no IML (Instituto Médico Legal) em BH. A gente sabia que o ônibus era clandestino. É muito difícil essa perda. Uma dor grande", contou Simone.

Mapa mostra local onde ônibus caiu de viaduto no interior de Minas - Reprodução/Google Arte/UOL - Reprodução/Google Arte/UOL
Mapa mostra local de onde ônibus caiu de viaduto no interior de Minas
Imagem: Reprodução/Google Arte/UOL

A cidade de Água Branca tem pouco mais de 20,4 mil habitantes e fica a 308 km de Maceió. A professora Antonia Batista Lima é prima das vítimas. Ela contou que todos moram em um sítio. Amanda era uma menina que gostava de estudar e tirar fotos.

"Amanda era uma pessoa maravilhosa, sempre dedicada aos estudos. Descobrimos que o sonho dela era ser modelo. A mãe dela morreu há um ano. O nosso primo Marcondes gostava de viajar e sempre ia a São Paulo. Uma pessoa muito carinhosa. Pra gente essa é uma notícia que abala toda a cidade", disse Antonia ao UOL.

A dona de casa Izabel Cristina era casada com um primo da família Lima e também foi integrada à família. O marido mudou-se para São Paulo há um ano, para trabalhar numa empresa de transporte. Eles passariam o final de ano juntos no estado. Ela deixa o marido, cinco filhos e dois netos.

Liberação

Os familiares de Amanda, Marcondes e Izabel Cristina estão no IML de Belo Horizonte para liberar os corpos. Os parentes foram informados que as prefeituras de Água Branca e Mata Grande, cidade de onde o ônibus partiu, ajudariam com as despesas de translado.

Até as 9h30 da manhã de hoje, a Polícia Civil de Minas Gerias havia identificado 13 dos 18 corpos, sendo que um deles é Marcondes. Izabel e Amanda ainda não constam na relação e estão em processo de identificação. Ao todo, 26 pessoas saíram feridas — 23 delas estão internadas no Hospital Margarida, em João Monlevade, e outras três estão no Hospital João 23, em Belo Horizonte. Outros três passageiros não tiveram ferimentos no acidente.

Cotidiano