PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Polícia recupera 44 computadores roubados em SP; seis pessoas são detidas

Felipe de Souza

Colaboração para o UOL, em Campinas (SP)

20/01/2021 14h04

Uma operação conjunta da Polícia Civil e Guarda Municipal de Campinas (SP) apreendeu dois adolescentes e deteve dois homens e duas mulheres suspeitos de integrar uma quadrilha que tem furtado Unidades Básicas de Saúde e até sedes da Defensoria Pública na cidade e região.

Ao todo, 44 computadores foram recuperados na ação de hoje. Os crimes aconteceram entre a semana do Natal do ano passado e o começo desta semana, segundo a Polícia Civil.

A operação aconteceu em duas casas nos bairros Jardim Yeda e Jardim Santa Lúcia, periferia da cidade.

Os computadores apreendidos foram roubados nos Centros de Saúde Satélite Íris II, Boa Vista e Nova América, também na periferia, com distâncias que variam a até 15 km do local onde os equipamentos foram encontrados.

Ao menos um dos equipamentos teria sido levado de uma unidade da Defensoria Pública do Estado, que fica na Chácara Primavera, bairro distante aproximadamente 20 km do "QG" da suposta quadrilha.

Outros dois PCs foram levados da sede da Defensoria em Limeira (SP), crime que aconteceu anteontem

Ainda segundo a Guarda Municipal, foram apreendidos cinco celulares, cartões bancários e aproximadamente R$ 2,3 mil em dinheiro.

A forma de agir

Fontes ligadas à investigação confirmaram ao UOL que os crimes estão ligados, pelo modo de agir da quadrilha. Os ataques acontecem durante à noite, quando não havia nenhum funcionário, geralmente sem testemunhas.

A exceção foi o roubo ao Centro de Saúde do bairro Nova América, às margens da Rodovia Santos Dumont (que liga Campinas a Sorocaba). Nesse crime, que aconteceu no dia 7 de janeiro, o bando fez um vigilante refém por cerca de 40 minutos.

A reportagem apurou que ao menos 80 computadores foram levados só das unidades de saúde de Campinas, todos da mesma marca.

Nenhuma informação pessoal de pacientes ou cidadãos atendidos pela Defensoria foi perdida ou levada pelos criminosos, já que os sistemas utilizados pelos órgãos são baseados na nuvem.

O motivo dos roubos e a possível participação de outras pessoas ainda será apurada pela Polícia Civil no 11º Distrito Policial de Campinas, onde o caso foi registrado.

Em nota, a Defensoria Pública informou que os representantes das unidades registraram boletins de ocorrência e que mantém contato permanente com a autoridade policial.

Cotidiano