PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

RS: Polícia apreende com colombiano cocaína preta avaliada em R$ 6 milhões

Cocaína preta foi armazenada dentro de embalagens de açaí, para enganar policiais - Divulgação/Polícia Civil
Cocaína preta foi armazenada dentro de embalagens de açaí, para enganar policiais Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Colaboração para o UOL

03/02/2021 15h39

Um colombiano de 36 anos foi preso em flagrante com 26 quilos de cocaína preta na tarde de ontem, em Novo Hamburgo, na região metropolitana de Porto Alegre. A droga, avaliada em R$ 6 milhões, estava armazenada em embalagens de açaí em pó e teria vindo de Manaus, conforme a Polícia Civil.

A cocaína preta foi desenvolvida na década de 1980, mas não se tinha conhecimento da comercialização da droga no estado. O entorpecente não reage ao teste preliminar, realizado com o reagente Tiocianato, não tem cheiro e nem mesmo o odor característico da cocaína branca.

Droga não tem cheiro, nem odor característico da cocaína branca, diz Polícia Civil - Divulgação/Polícia Civil - Divulgação/Polícia Civil
Droga não tem cheiro, nem odor característico da cocaína branca
Imagem: Divulgação/Polícia Civil

O homem, dono de uma loja de produtos naturais, foi preso em uma operação conjunta com a Receita Federal. Ele já estava sendo monitorado pelos policiais e foi detido quando recebia a encomenda da droga. A investigação apontou que ele recebia R$ 10 mil por remessa da cocaína preta.

Após a apreensão, a droga passou por três técnicas diferentes de perícia, que apontaram alta concentração de cocaína.

"Os testes preliminares, que são fornecidos pelo DPL (Departamento de Perícias Laboratoriais) do IGP para todas as delegacias do Estado, não foram capazes de identificar a droga. A confirmação, feita no laboratório, é fundamental para embasar as prisões", explica o diretor do departamento, Daniel Scolmeister. Novos testes serão feitos para determinar a pureza da droga.

Cotidiano