PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Adolescente é morto a tiros após operação no Rio; família culpa PM

reprodução
Imagem: reprodução

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

22/02/2021 21h55

Familiares de um adolescente de 14 anos encontrado morto em um hospital da zona norte do Rio de Janeiro foram ouvidos pela Polícia Civil hoje. O menino, segundo parentes, estava na porta de casa quando foi abordado e levado por policiais militares que realizavam uma operação no Morro do Fubá, em Campinho, na mesma região, na manhã de hoje.

De acordo com familiares da vítima ouvidos pelo UOL, desde então eles ficaram sem informações do paradeiro do menino. Horas depois, receberam a notícia de que pessoas feridas tinham sido levadas para o Hospital Municipal Salgado Filho.

Os parentes foram até o local e o encontraram morto, com duas marcas de tiros — um na perna e outro na barriga.

Além da família do garoto, os agentes da Delegacia de Homicídios da Capital também ouviram os policiais militares envolvidos na operação. As armas deles foram apreendidas e passarão por uma perícia.

Moradores realizaram protesto

No início da tarde, após confirmada a morte do menino, moradores da comunidade realizaram uma manifestação que fechou a Avenida Ernani Cardoso, uma das principais vias da região.

Um ônibus chegou a ter os vidros quebrados. Segundo a PM (Polícia Militar), um grupo que participava do protesto foi levado para a 29ª DP [Madureira]. Familiares e amigos do menino foram até o local onde o adolescente foi visto pela última vez e gritaram palavras de ordem como "justiça".

O que diz a Polícia Militar

Procurada pelo UOL, a corporação informou que equipes do 3º BPM "foram atacadas por indivíduos armados e ocorreu reação. Dois indivíduos foram localizados feridos, um indivíduo foi detido e houve apreensão de um fuzil calibre 5,56, duas pistolas calibre 9mm, duas granadas, um rádio comunicador e entorpecentes a serem contabilizados. O socorro dos feridos foi feito ao Hospital Municipal Salgado Filho, tendo estes vindo a óbito".

Ainda em nota, a Polícia Militar disse que equipes do Batalhão de Polícia de Choque "em vasculhamento na comunidade do Fubá foram atacados por disparos de arma de fogo e houve apreensão de um fuzil e uma pistola. O ferido foi socorrido ao Hospital Municipal Salgado Filho, no entanto, não resistiu aos ferimentos".

Apesar disso, a corporação não informou se o adolescente estava entre os mortos. A Polícia Civil realiza diligências para identificar outras testemunhas que ajudem a esclarecer o homicídio. O corpo da vítima foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal), onde passou por exames. A Delegacia de Homicídios também investiga as outras duas mortes.

Cotidiano