PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Granada em quintal suspende funcionamento de UBS em Campo Grande

Objeto não oferecia risco de explosão e foi recolhido - GCM/Divulgação
Objeto não oferecia risco de explosão e foi recolhido Imagem: GCM/Divulgação

Daniel César

Colaboração para o UOL, em Pereira Barreto (SP)

03/03/2021 20h41

Uma UBS (Unidade Básica de Saúde) de Campo Grande teve de ser fechada às pressas hoje à tarde depois que uma granada foi encontrada no quintal do imóvel. O caso aconteceu na unidade José Tavares, que fica no Bairro Nova Lima.

Segundo informações da Polícia Civil, funcionários da UBS encontraram um objeto semelhante a uma granada no endereço e acionaram a Guarda Civil Metropolitana da cidade que, imediatamente, ordenou que o prédio fosse evacuado por segurança.

Assim que chegou ao local, a GCM determinou que todos os imóveis vizinhos também fossem esvaziados e isolou todo o trecho da rua para evitar qualquer risco no caso de uma explosão. Os guardas entraram em contato com a Polícia Militar que enviou policiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais), que é especializado em casos assim.

O Bope confirmou tratar-se de uma granada e isolou ainda mais o objeto, pedindo para que populares mantivessem distância mínima de 100 metros. Além da GCM, bombeiros militares acompanharam o processo de retirada do explosivo, que durou cerca de 40 minutos.

Antes da retirada, a granada foi testada. Percebeu-se não haver risco de explosão e, por isso, ela foi colocada num artefato blindado e sem risco no caso de ela detonar. Somente após a partida da equipe é que os guardas liberaram a rua e os moradores puderam retornar às residências.

A prefeitura de Campo Grande informou que a UBS, no entanto, não reabriu por conta do horário avançado, mas que o local voltará a funcionar normalmente a partir de amanhã.

O Bope levou a granada para ser avaliada pela Polícia Científica, que irá tentar descobrir sua origem e o tipo de bomba, bastante incomum na região. A Polícia Civil abriu inquérito e irá investigar se o explosivo foi deixado ali de propósito e por quem.

Cotidiano