PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Polícia encerra festa com aglomeração em SP; 200 pessoas são detidas

Ed Rodrigues

Colaboração para o UOL, no Recife

06/03/2021 13h57Atualizada em 06/03/2021 22h10

Uma ação da Vigilância Sanitária, em parceria com a Polícia Civil, encerrou uma festa clandestina com cerca de 200 pessoas no bairro da Penha, São Paulo. Segundo a polícia, a organização do evento esperava por 1,5 mil pessoas. A blitz também encontrou drogas com os participantes no local.

A abordagem faz parte dos trabalhos do governo de São Paulo no combate à pandemia do novo coronavírus. Segundo a Vigilância Sanitária, 43 estabelecimentos foram autuados na madrugada de hoje por descumprirem as normas que proíbem aglomerações. Houve inspeção em bairros como Itaim Bibi, Pinheiros, Vila Mariana, Paraíso, Moema, Morumbi, Penha e Jabaquara

"Encontramos dezenas de pessoas sem máscaras. Agimos para evitar que este tipo de situação se repita", disse diretora do Centro de Vigilância Sanitária estadual, Cristina Megid.

A festa clandestina, que ocorria na avenida Amador Bueno Veiga, na Penha, terminou com todo mundo detido. O grupo deve pagar multas e ser liberado em seguida.

"Por falta do uso de máscara, que é obrigatória, a multa é de R$ 5.278 por estabelecimento, por cada infrator. Já as pessoas em espaços coletivos também podem ser multadas em R$ 551,00 pelo não uso da proteção facial", disse Megid.

A diretora ressaltou que o propósito das blitze é educativo, mas o descumprimento das orientações gera sanções.

"Nossas ações visam sobretudo à mudança de comportamento e ao respeito às normas sanitárias para proteção coletiva, e não miram a punição, embora isto possa ser realizado se a lei for descumprida", finalizou.

Até o próximo dia 19, São Paulo vive uma fase mais restritiva da quarentena. A Secretaria da Saúde do estado apela para a contribuição da população e o respeito às novas regras.

Procurada, a SSP (Secretaria Estadual da Segurança Pública) informou que "centenas" de jovens foram flagrados sem máscaras no evento. A pasta ressaltou que a casa de show da zona leste não tinha "alvará de funcionamento, saídas de emergência, tinha ligação elétrica clandestina e estava com extintores vencidos".

Em nota, a SSP-SP disse ainda que o serviço de inteligência identificou o anúncio da festa nas redes sociais. Durante a ação, além das drogas, foram apreendidos um celular e oito máquinas de cartões.

As irregularidades renderam à casa de eventos um TC (Termo Circunstanciado) de infração de medida sanitária preventiva (art. 268) e localização/apreensão de objeto, acrescentou a secretaria.

Também em nota, o governo de São Paulo informou que foram feitas 1.352 orientações para dispersão de aglomerações em fiscalização na capital. "Ao todo, 26.179 pessoas foram abordadas e 21 delas, detidas."

Cotidiano