PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher denuncia racismo após ser acusada de furto em shopping de São Paulo

Érica Scheila Rodrigues de Carvalho diz ter sido vítima de racismo em shopping de SP - Arquivo pessoal
Érica Scheila Rodrigues de Carvalho diz ter sido vítima de racismo em shopping de SP Imagem: Arquivo pessoal

Daniel César

Colaboração para o UOL, de Pereira Barreto (SP)

07/03/2021 15h25

A servidora pública Érica Scheila Rodrigues de Carvalho, de 42 anos, registrou hoje um Boletim de Ocorrência denunciando ter sido vítima de racismo em um shopping na cidade de Andradina, no interior de São Paulo. Ela diz que foi acusada de furto e chamada de "encardida" por uma cliente que também estava no local.

Érica teria ido ao shopping comemorar o aniversário juntamente com seu marido. Antes de ir embora, ela diz que comprou dois livros em uma livraria do local. Já no estacionamento, a servidora, no entanto, diz ter sido abordada por uma funcionária e por um segurança do estabelecimento.

"Eu estava esperando meu marido com o carro quando uma funcionária apareceu com um segurança dizendo que precisava me revistar porque denunciaram que eu furtei livros na loja", disse em entrevista ao UOL. "Nunca me senti tão humilhada na vida".

Érica ainda disse que o segurança teria puxado a bolsa dela para revistá-la, mas não encontrou outros livros além dos que foram comprados.

Inconformada, a servidora pública quis saber de onde partiu a denúncia, e o segurança do shopping a levou até outra cliente, que estava na Praça de Alimentação do shopping. Mesmo diante das evidências contrárias, a mulher teria insistido na acusação. Na discussão, Érica disse que foi chamada de "encardida".

"Ela disse que me viu colocando livros dentro da bolsa e me chamou de ladra", diz Érica. "No meio da discussão, porque eu briguei com ela, ela me chamou de encardida."

A polícia foi chamada para conter a situação, e Érica passou por uma nova revista.

"Eu joguei tudo que tinha dentro da bolsa no chão e perguntei se precisava tirar a roupa", detalha.

Após a confusão, a mulher que fez a denúncia teria tentado apaziguar a situação, mas Érica decidiu registrar Boletim de Ocorrência na Polícia Civil por racismo.

"Na delegacia, o delegado foi muito educado comigo e registrou o BO. Agora ele vai investigar, mas vou levar até o fim", promete.

O que diz shopping

O UOL entrou em contato com o shopping, que soltou nota oficial lamentando o caso e garantiu que não teve qualquer envolvimento com o caso. O administrador do centro de compras não comentou o fato de um segurança do local ter tomado a bolsa da cliente para revista.

Confira a nota na íntegra

O OESTE PLAZA SHOPPING, lamenta profundamente o triste acontecimento do fato ocorrido em suas dependências no último dia 04/03/2021 e desde já ressalta que não teve qualquer envolvimento, de forma que mantém o compromisso de tratar seu público com respeito e qualidade e, repudia veementemente qualquer tipo de conduta que resulte em constrangimento de qualquer espécie.

Esclarecemos que estamos acompanhando as apurações que estão sendo realizadas, e caso seja necessário, adotaremos providências, na medida em que nos compete.

Cotidiano