PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Alunos de máscara aparecem sentados escondidos de tiroteio no Rio

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

22/03/2021 14h41

Em um vídeo publicado nas redes sociais, crianças aparecem se protegendo do tiroteio em uma comunidade da Praça Seca, na zona oeste do Rio de Janeiro. Nas imagens, é possível ver que, além do cuidado por causa da violência, a professora ainda pede para que os alunos mantenham o distanciamento devido à pandemia da covid-19.

O caso aconteceu na Escola Municipal Morvan de Figueiredo, na última quinta-feira (18), mas tomou repercussão após o fundador do jornal Voz das Comunidades, Rene Silva, postar as imagens. "Vocês conseguem entender a complexidade que é viver numa favela? As crianças no corredor pra se proteger dos tiros. A professora preocupada com o distanciamento por causa da covid... É isso, a realidade da desigualdade social", escreveu ele.

No início do vídeo é possível ouvir diversos disparos e algumas crianças conversando entre si. Em um determinado momento a professora diz: "Não tem graça, é muito perigoso o que está acontecendo. Vamos chegar para cá. Por favor, não é pra ficar juntinho por causa do coronavírus e também não é para ficar em pé".

Logo em seguida, a profissional faz um desabafo a respeito da situação. "Infelizmente, a gente tem que ficar nessas condições, sentado no corredor da escola. Tendo que manter a distância e ao mesmo tempo se proteger dos tiros que estão constantes", afirma. Uma criança ainda pergunta para a professora como eles sabem de onde vem os disparos e ela finaliza falando que "a gente não sabe, os tiros está em todas as partes".

O secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha, repostou a publicação e disse que, "além dos grandes desafios educacionais, temos o problema crônico da violência no Rio". "Não adianta insistir numa política de segurança pública ineficiente, do confronto pelo confronto, que prejudica os mais pobres e não está integrada com outras áreas, especialmente a Educação", analisou.

Procurada pelo UOL, a pasta informou que "como é de conhecimento geral, violência é uma questão de segurança pública. Na quinta-feira, 18/03/21, no entorno da Escola Municipal Morvan de Figueiredo, na Praça Seca, ocorreu um tiroteio. De forma preventiva, os alunos foram abrigados em uma parte mais segura da unidade".

A Polícia Militar disse em nota que a Praça Seca é uma região que passa por uma disputa territorial entre grupos criminosos e a corporação tenta "estabilizar a região". A corporação afirmou ainda que não houve operação no dia em que foi gravado o vídeo.

Ainda segundo a PM, houve um relato de diversos disparos espaçados entre grupos rivais no alto do morro, sem reflexos na parte baixa da comunidade. A Polícia Militar finalizou informando que "não recebeu reclamação de escola que tenha sido fechada ou ameaçada". O policiamento foi reforçado na região da Praça Seca.

Já de acordo com a Polícia Civil, há "diversas investigações em andamento envolvendo recentes tiroteios na região. O vídeo que está circulando nas redes sociais será adicionado a estas investigações".

Somente neste ano, foram registrados 62 tiroteios na região, segundo o laboratório de dados Fogo Cruzado. Neste mesmo período do ano passado, a plataforma, que monitora a violência no estado do Rio, contabilizou sete.

Cotidiano